Voltando ao Passado – 71ª Parte

Viviane Freitas

  • 13
  • Jun
  • 2017

Voltando ao Passado – 71ª Parte

  • 13
  • Jun
  • 2017

As dificuldades que eu tinha com o meu português e com esse novo desafio, estavam presentes continuamente.

Mas da mesma forma que as dificuldades persistiam, assim também a fé! Aquilo que eu podia, eu fazia. Algumas coisas que fazia para desenvolver, contrariavam a minha vontade. E uma delas, era me assistir nos programas para fazer as correções. Não do português, mas do tema.

Além de orar, estava disposta a aprender com quem quisesse ensinar. Eu queria aprender, viesse de quem fosse; eu devia desenvolver para honrar e glorificar a Deus. Essa honra a Deus não estava ligada às minhas emoções. Nada disso! Pelo contrário, eu tinha consciência que independentemente de quem estivesse comigo no “ar”, eu teria que aprender a me ajustar. Porque é assim a Obra de Deus.

E sabe uma coisa? A Obra de Deus não pode parar por conta dos meus conflitos. Eu tenho que superá-los e, ainda assim, passar vida. E É nessas dificuldades que aprendemos a exercitar a fé, e para mim, exercitar é sempre uma descoberta, não há um manual para isso.

Com elas, também há uma grande chance de construirmos amizades. Havia uma esposa Africana, que veio fazer o programa comigo. Ela não falava português porque havia estudado, mas com a convivência com os pastores. Porém, ela era o destaque aos meus olhos, por mais que houvesse uma outra esposa portuguesa, e que falava direitinho também. Todas nós tínhamos os mesmos conflitos iniciais. Mas estávamos ali, todas as semanas, combatendo a nossa carne, vontades e pensamentos negativos.

Com isso, construímos uma amizade bacana! Aliás, na Igreja Universal, construímos o tempo todo. Até mesmo com a esposa que não teve paciência, em algumas vezes, vi nela também paciência para outras coisas. Quem aproveita essas dificuldades, conserta os seus erros e aprende também a entender os outros. Assim é a fé viva. Ela sustenta, não para favorecer emoções, mas para fazer o que é justo.

Por conta do Programa Coisas de Mulher, não investia no inglês. Eu fazia a escolha daquilo que era mais importante no momento…

Com a fé, estava aprendendo a me lançar em uma área de cada vez.
Ao exercitar a fé, vigiar, atentar, vamos descobrindo os erros e nos consertando. À medida que exercitamos isso, nos aprimoramos em cada etapa, e assim construímos aquilo que não existe. E com isso alargamos nossa visão para as coisas, porque não fugimos dos desafios.

Os desafios me ajudaram a criar mais dependência de Deus. Eles nos fazem enxergar de forma diferente, porque não ficamos no mesmo estágio em que nos encontramos.

É maravilhoso participar da fé que Deus nos dá, usando-a e aprendendo com ela.

Série: Voltando ao Passado

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

2 Comments

  1. A cada leitura sou muito abençoada, pelos ensinamentos, amo ler o diário da senhora, pois aprendo a cada dia mais só depender do altar.

    Ver mais
  2. Bom dia!! Como é verdadeiro isso, eu concordo porque a fe faz isso mesmo , superamos os limites e desafios, aprendemos a cada dia a ser melhor para o nosso Deus. E descobrimos amizades verdadeiras que nos ensinam sempre a desenvolver na fe e assim obtemos crescimento espiritual.

    Ver mais