Silvia Alvarenga

  • 15
  • Out
  • 2010

Passado Insistente

  • 15
  • Out
  • 2010

“Eu sou”, é uma pessoa que sempre se diz boazinha. Sempre é perfeita! Sempre diz ser uma pessoa maravilhosa. Tanto é verdade que, qualquer um que se meta em seu caminho para confrontá-la – “eu sou” fica admirado com a audácia dessa atitude, de ir contra esse ser tão bondoso, e admirada por si mesma.

É claro que o “eu sou”, comete erros que lhe frustram, mas considera isso concebível, afinal, é seu amigo número 1 em todas as batalhas. Foi o “eu sou” que teve que aguentar tudo sozinho.

Lembro-me que nasci com lábio leporino, e isso gerou vários problemas externos, que influenciaram no mais profundo do meu ser. Devido a esse passado, triste e agravante, eu tinha que recorrer aos meus dilemas. Eu tinha que defender-me, porque a vida havia sido muito cruel comigo.
Era a “feia”, a rejeitada, e a burra, porque falava somente as vogais. Era considerada a escória do colégio.

Então comecei a manifestar uma personalidade muito egocêntrica.  Já que tudo me contrariava na vida, eu não aceitava de hipótese alguma que em casa tivesse outros contratempos.

Ainda que ninguém tivesse culpa, eu achava injusto ser menos, ou me sentir inferior em casa. Por mais que todos se esforçassem em fazer o melhor, nunca me bastava. Nunca encarei que nasci imperfeita, mas via que os outros eram imperfeitos.

E se eu nascesse perfeita, como seria? Será que não estaria fazendo o mesmo, pela influência dos outros? Como seria? Sobre isso nunca pensamos… Só damos importância mesmo aos nossos problemas pessoais.

A vida para mim era um fardo fora de casa, mas, quando estava em casa, expressava os traumas que sofria no meu interior. Tinha ciúmes, devido ao medo de não ser amada do mesmo jeito que a minha irmã era. Eu via tudo destorcido: tudo que compravam para minha irmã, era melhor que para mim…

Minha autodefesa fez com que guerreasse com todos que fossem contra o meu eu, tão “bonzinho e compreensível”.

Mas até que ponto podemos considerar-nos os certinhos? Até onde chegam as verdades, que confrontam-se com a realidade que está dentro! No próximo blog, você vai conhecer o lado que te mostra a realidade.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

23 Comments

  1. Verdade. Muitas vezes por algo de errado acontecer com a gente, buscamos transferir a culpa ao invés de enfrentar a situação.

    Ver mais
  2. D. Vivi:
    Admiro sua sinceridade. Mais que isso, é um testemunho e tanto ver como a Sra. venceu sua natureza e todas as dificuldades que passou.

    Ver mais
  3. Olá D. Viviane, realmente quando não estamos bem todos estão errados porque na verdade quando eu olho para outra pessoa com aintenção de critica-la eu estou me vendo nela. Mudando o meu interior munda o exterior.

    Ver mais
  4. realmente é dificil porque as vezes parece que o irmao tem mais privelegios que a gente ,mas só Deus que nos faz superar esses problemas.

    Ver mais
  5. Muito sábio esse estudo.Caiu como uma luva rsrs.
    Geralmente quem faz tudo sozinho carrega um peso muito maior…Não acredito em pessoas perfeitas mas, acredito que o ser humano pode evoluir vencendo as suas próprias fraquezas e limitações.

    Ver mais
1 2 3 4