Filho único

Viviane Freitas

  • 27
  • Abr
  • 2011

Filho único

  • 27
  • Abr
  • 2011

Cada vez mais as mulheres optam por ter apenas um filho. Saiba o que está em jogo nesta decisão

Ordem do nascimento influencia na personalidade

Ter irmãos promove generosidade e gentileza

“O filho único costuma crescer em um ambiente onde ele sente que reina”. Não à toa vivem dizendo que filho único fica mais egoísta, mas toda regra tem exceções.

Ser mais ou menos individualista depende também da vivência em casa, além da personalidade.

De acordo com a psicóloga e psicoterapeuta familiar Ana Gabriela Andriani, é mais fácil aprender a compartilhar e pensar no próximo quando se convive com um irmãozinho desde cedo, mas a escola também pode proporcionar esta experiência ao filho único.

Hoje em dia o filho único não é mais prejudicado pela solidão como antes. Se antigamente a mulher tinha um filho só por dificuldades pessoais ou falta de desejo e dedicação, hoje ela faz isso por opção, sem necessariamente criar situações afetivas complexas para a criança.

“Hoje é preciso fazer uma escolha de qualidade, para ter uma vida profissional e familiar”.

A escola também cumpre o papel de inserção da criança no meio social, portanto ser filho único não implica uma grande falta neste quesito.

Escolha e arrependimento
No entanto, quando o filho é único, a tendência em protegê-lo demais é uma armadilha comum, mais facilmente evitada com a presença de mais uma criança.

“Quando há mais de um, os pais podem transitar com o olhar por todos”, pois é mais difícil para estes pais deixar um filho único caminhar com as próprias pernas”.

Sem terceirizar

A superproteção não é o único risco comum corrido pelos filhos únicos. Há também a exigência em excesso.

Com mais de um filho, fica mais difícil proporcionar o melhor a todos. “Hoje, com a questão da competitividade, os pais querem dar tudo.

Mas quanto mais filhos se tem, menos se consegue dar”. E adeus cursos de inglês, natação, música.

Com a mulher fora de casa, ser mãe também exige, além de gastos, um planejamento logístico mais complexo para o dia a dia do filho, desde um serviço de ônibus escolar até a contratação de uma babá – sem terceirizar a educação.

Disputas saudáveis

Com a existência de irmãos na família, é comum haver negociações cotidianas para ver quem vai sentar em que lado no carro, quem vai tomar banho primeiro ou quem vai escolher a música da viagem.

Pais de filhos únicos podem contornar esta falta, não permitindo que a criança sempre faça as escolhas. “Ofereça condições para ela aprender a lidar com a frustração”.

Além disso, incentivar o filho a ter relações de amizade sem medo é essencial.

Muitas vezes os pais têm medo do enfraquecimento do referencial de família devido à aproximação dos amigos. Não há o que temer se os vínculos familiares forem sólidos. Cada um tem seu espaço e não haverá este tipo de competição.

Fonte: Dicas de Mulher

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

3 Comments

  1. Amei a matéria,quando eu tiver Filhos,terei Dois..Minha mãe sempre disse que Deus mandou o meu irmão..Apesar dele ser homem,sabemos compartilhar tudo,quando crianças brincavámos de luta,de pega pega..Sim não era preciso ele brincar de boneca..Isso fica um recado as mamães..Vcs podem educar seus filhos com essa diferença de meninos e Meninas..Não deixar só menina brincar com meninas..Deixe elas ficarem no grupo de Meninos também,isso é saudável..Pois quando crianças não temos malícia.Essa nossa união é Graças a minha mãe,ela educou o meu irmão para me proteger..dizendo que eu sou a mais nova e unica irmã dele..e Hoje como sou Adulta,isso gera uma proteção da parte dele..Se preocupa com que eu faço..Isso com certeza me torna uma adulta melhor..pois com irmão compartilhei alegrias,tristezas,e brigas ..Isso gerou uma segurança para a minha pessoa..Mamães ofereça educação de qualidades ao seu filho,crie união entre irmãos..Assim serão adultos saudáveis..

    Ver mais
  2. OI BOM DIA!
    EU TENHO UM UNICO FILHO E ISSO HOJE TEM ME DEIXADO DE CABEÇA QUENTE. SINTO ELE MUITO TRISTE,SOLITARIO E O POUCO AMIGO QUE TEM NAO VALE A PENA,, E NAS MAIORIA DASVEZES ELE DIZ QUE EU SUFOCO ELE.ISSO ME DEIXA MUITO TRISTE.TENHO CHORADO MUITO POR ESSA RAZAO. ELE SO PENSA EM DORMI DORMI E DORMI.PARECE UMA DEPRESSAO.. AI EU PENSO SERA QUE SE EU TIVESSE TIDO MAIS DOIS OU TREZ NAO SERIA MELHOR?? ME SINTO CULPADA AS VEZES POR ISSO. NA MINHA OPINIAO UM FILHO SÓ NAO É BOM.

    Ver mais
  3. Olá.
    Eu não tenho filhos por opção e escolha de vida mesmo.
    Minha irmã tem um filho e eu digo a ela : se eu fosse você não teria mais. Daria o melhor para esse seu filho.Esse lance de que filho único vai ser egoísta, sozinho e blá, blá, bá… não creio.Tenho primas que são filhas únicas e são cheias de amigos e amigas espalhados pela cidade. E não são egoístas compartilham tudo .É melhor educar bem um do que ter vários e ter uma educação que deixa a desejar.Sou totalmente a favor do planejamento familiar. E acho que para se ter filho independente de quantidades exije um preparo financeiro, emocional, espiritual e amoroso. A coisa mais triste é ver tanta criança abandonada nessa terra por falta de um lar e de uma referência familiar.Acho triste ver algumas mães tendo tantos filhos e deixando os mesmos para a professora, a babá, a cunhada, a avó, a rua cuidar.Se quer ter um filho tenha mas,saiba filho não é boneco e nem boneca.Se for ter cuide e muito bem! Não delegue essa competência para outra pessoa. Eu fico morrendo de dó quando vejo as crianças no meu bloco jogadas sendo criadas por babás,porque os pais tem que trabalhar. De longe enxergo a carência da criança.Acho uma tremenda covardia.

    Ver mais