Fale mais alto

  • 7
  • Mai
  • 2011

Fale mais alto

  • 7
  • Mai
  • 2011

Um dia cedo, cheguei na igreja, estacionei o carro e coloquei minha bolsa no chão, para poder pegar todas as outras coisas que eu tinha que tirar do carro e levar para igreja.

Atravessei a rua, entrei na igreja e assim comecei com todos os afazeres, para depois participar da reunião.

Passou o dia, quando era já noite, após a reunião, lá vai eu procurar a minha bolsa: mas não a encontrei. Procurei por todos os lados, e não havia sinal dela. Comecei a me preocupar, mas nada.

Fui para casa… e chegando no meu quarto, dei um grito de guerra, não aguentava tanto tormento na minha cabeça . Parecia um inferno aquela preocupação, pois na minha bolsa havia cartão de crédito, minha identidade daquele país, documentos, um cheque assinado em branco e dinheiro.

Ao chegar nessa situação, não tinha a quem me lançar, senão Naquele que é o meu refúgio. Tive que falar mais alto do que todas as vozes que falavam na minha cabeça. Falei com Ele:

Deus, eu não sei como será feito, mas eu quero um anjo neste exato momento lá aonde está a minha bolsa, e não quero que ninguém toque em nada. Em nada! Não sei como o Senhor vai fazer, mas é responsabilidade do Senhor. E quero que essa bolsa chegue às minhas mãos intacta!

 

 

 

 

Passou um dia, e nada. Passado outro dia, um senhor foi na igreja à minha procura, e não me encontrou. Mas falou com um Pastor que queria falar comigo, porque achou algo meu. O Pastor me ligou e disse:

Senhora, um senhor quer falar apenas consigo, porque achou a sua bolsa.

 

 

Fiquei repleta de alegria. Deus ouviu o meu clamor! Deus teve compaixão de mim quando, mesmo desapercebida, deixei aquela bolsa no chão.

Mas a todos quanto o invocam Ele atende.

No dia seguinte, busquei a minha bolsa, que estava intacta.

Deus ama quando contamos com Ele. Mostramos assim uma dependência e uma crença.

A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.

Quando temos a luz, ainda que passamos por momentos de trevas, ela não prevalece sobre a nossa fé. Ela nos faz apegar-nos mais à luz, e assim brilharmos com a presença de Deus em nossas vidas.

O que você faz quando lhe sobrevêm as trevas? Foge ou enfrenta? Tem falado mais alto ou tem deixado a voz negativa gritar no seu ouvido?

Quem deixa as trevas prevalecerem é porque não aprendeu a contar com a Luz, ou não acredita muito que a Luz pode tudo. E com certeza, os seus companheiros são … as trevas!

 

 

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

21 Comments

  1. Muito bom, Señora Viviane que enseñanza me dejo hoy, no hay que tener duda, hay que creer en Dios tanto como un niño cree en su padre,osea tener una dependencia hacia Èl del 100%, hacernos sordos a la negatividad y dar oídos a la fe.

    Ver mais
  2. Sinceramente Señora me sirvió de mucho su relato, nosotras a veces no gritamos (espiritualmente) delante delos problemas, en cada situación es una lucha espiritual, y debemos practicar lo que tenemos que es la fe desde las mas pequeñas situaciones hasta las mas grandes, salir vencedoras de todo y principalmente ir madurando espiritualmente

    Ver mais
  3. Boa tarde D. Viviane. Não podemos deixar-nos vencer pelas trevas. Temos que enfrentá-las. Quando surgem os obstáculos recorremos a Deus pois reconhecemos que somente Ele pode nos ajudar a ultrapassar as dificuldades e Ele agrada se de nós, da nossa dependência e manifesta o Seu poder na nossa vida dissipando todas as trevas. Existem momentos em que nós não conseguimos ir mais além, não temos a capacidade de resolver aquilo que aos nossos olhos é impossivel de ser resolvido e então aí entra a nossa confiança em Deus, pois sabemos que somente Ele tem o poder para fazer o impossivel possivel. Beijinho.

    Ver mais
1 2 3 4