De Filhos para pais: No “piloto automático”

Andreia Petrucci

  • 30
  • Dez
  • 2014

De Filhos para pais : No “piloto automático”

  • 30
  • Dez
  • 2014

Uma notícia recente despertou a minha atenção, trazendo até um certo “choque”, pelas circunstâncias envolventes: Um pai esqueceu a sua filha no carro, que acabou por sucumbir.


E por incrível que pareça, o episódio não é isolado! Muitos outros casos já sucederam e continuam a acontecer… Por exemplo nos EUA, 1 criança é esquecida dentro de um veículo, a cada 9 dias.

Muitos dirão: “Que horror, como isso é possível?!”. Como talvez eu própria pensei… Mas a verdade é que vivemos numa era de “piloto automático” em que cada um vive de si, para si mesmo, atarefado com muitas responsabilidades, andando de um lado para o outro, quase instantaneamente, sem pensar, raciocinar e avaliar as consequências dos seus atos.

Já lhe aconteceu atravessar uma estrada sem olhar, e quase ser atingido por um carro? O que pensou?
“Tenho de ter mais cuidado; não posso continuar neste ritmo!”
Mas será que desacelerou realmente, e ponderou no quão valiosa é a sua vida e a dos demais? O ritmo frenético a que a sociedade atual se votou, não apenas tem tido influência na falta de atenção dos pais para com os seus filhos ou na destruição de casamentos pela “falta de tempo”, mas tem atingido contornos assustadoramente graves e fatais, como os que referimos acima.

Na verdade, as prioridades têm sido “trocadas” – ainda que inadvertidamente – colocando-se “coisas”, como bens e trabalho, à frente de Deus, da família… da vida! E isto é o resultado de tamanha falta de vigilância e negligência para com os verdadeiros valores, que aprendemos como primordiais, mas que têm vindo a ser esquecidos e desvalorizados.

Não deixe de interceder por si e pelos seus, pois muito pode, pela sua eficácia, a súplica de um justo, mas aliado a isso, fique vigilante, atento, para que permaneça livre de “armadilhas”.

Saiba que a sua alma tem um alto preço, que o Senhor Jesus já pagou na cruz do calvário, e o diabo, percebendo a forma como tantas vezes “facilitamos”, aproveita essas “fragilidades” para promover a destruição, provocando o caos interior através de traumas, dores internas insuportáveis e tantas outras perdas, que não sendo colmatadas, se podem tornar irreversíveis… sobretudo para a nossa alma.

“Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar…”(I Pedro 5:8)

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

5 Comments

  1. Temos que vigiar pois o diabo precisa apenas de uma brecha para entrar e destruir nossa vida.

    Ver mais
  2. Olá,eu sou professora e na escola onde trabalho há crianças que frequentam a igreja com seus pais. Para mim é triste nas reuniões que tenho juntamente com outros professores ouvir que algumas dessas crianças não têm acompanhamento dos pais na sua vida escolar.Não têm sucesso escolar porque os pais não se interessam pelos seus estudos.O nome do Senhor Jesus tem de ser glorificado e com atitudes assim fica difícil. Um abraço

    Ver mais
  3. Dona Andreia,quando ouço ou leio este tipo de artigos sobre as crianças,logo agradeço a Deus o ter me proporcionado ter podido tomar conta dos meus próprios filhos a tempo inteiro.Que foram Tres!Tomei conta de alguns que não eram meus.Há cerca de um ano tomei conta de um pequenino cuja mãe andava na igreja.Suas palavras de fé eram de que o seu filho estava nas mãos de Deus,que preferia que Deus o levasse a ter que se afastar da fé.Palavras muito lindas mas pouco convicentes para os da minha casa que se aperceberam como eu que esta crianças de 2 anos não dizia uma palavra,da idade do meu neto que já falava como um papagaio!Deixava o sózinho de noite e ele estava todo cheio de marcas negras em todo o corpo.Não era alimentado como devia de ser.Fiz tudo o que estava ao meu alcance,inclusivé alertei o pastor e sua esposa para o caso mas não me deram muita importância.Responderam que ela era uma mãe muito boa e carinhosa.Nunca vi aquela senhora dar um beijo ao filho sem que eu lhe pedisse para o fazer.Escusei me dessa função e entreguei- o á mãe.Já passou mais de um ano,mas ainda a minha consciência grita que eu devia de a ter denunciado-Hoje só me resta pedir a Deus que o guarde de verdade da incompetencia daquela progenitora que já antes teve 2 filhos e os perdeu para alguém que os tratou convenientemente.Dona Andreia,que faria a senhora no meu lugar?Obrigado pela sua atenção!Um beijo.Ana

    Ver mais
    1. Querida Ana, vamos responder-lhe através do mail do Blog: blog@vivianefreitas.com

      Beijinhos,

      Ver mais
  4. Bom dia Andreia PEtruci, muito obiigada por abrir a minha mente, e poder repassar este alerta, Deus a abênçoe sempre!!!

    Ver mais