14º Dia | Ser O Testemunho

Viviane Freitas

  • 19
  • Jan
  • 2017

14º Dia | Ser O Testemunho

  • 19
  • Jan
  • 2017

19 de Janeiro | Quinta | João 11.47-48

Depois os principais dos sacerdotes e os fariseus formaram conselho, e diziam: Que faremos? porquanto este homem faz muitos sinais.
Se o deixamos assim, todos crerão nele, e virão os romanos, e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação.

O que deve fazer antes de ouvir o audio? Clique aqui.

Olá todos os internautas. É um prazer podermos estar juntos aqui todos os dias, meditando na Palavra de Deus. Eu espero que você tenha seguido aqueles conselhos que estão escritos aqui no blog.
Antes de você acompanhar o post, há um conselho para que tenha resultados desta meditação.

Acompanhe comigo no livro de João 11:47

“Depois os principais dos sacerdotes e os fariseus formaram conselho, e diziam: Que faremos? porquanto este homem faz muitos sinais.
Se o deixamos assim, todos crerão nele, e virão os romanos, e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação.”

Interessante, esses principais sacerdotes e fariseus estavam ali juntos, perturbados pela notícia que receberam daqueles que viram o milagre da ressurreição de Lázaro. E aquilo estava incomodando os fariseus e os principais sacerdotes, porquê? Porque quando uma pessoa não age a fé, a fé verdadeira que trás resultados, fica com inveja, assim como sucedeu com Caim, que invejou Abel quando este apresentou a sua oferta.

A fé faz-nos apresentar algo em mãos, a Deus. Se você tem uma fé religiosa, não oferece nada, mas se tem uma fé inteligente, a fé prática da Palavra de Deus, obediente, então você oferece sinais a Deus, e não só a Deus, mas aos homens também… As outras pessoas enxergam, assistem aos seus sinais.

Aqueles principais sacerdotes estavam ali formando conselhos, perguntando: “O que vamos fazer, porque Ele manifesta muitos sinais?!”
Veja que interessante, minha amiga internauta, eu quero que você traga para a sua vida: Você crê em Deus, vai à Igreja, dá os seus dízimos, as suas ofertas, mas e os sinais? Há coisas que você faz em relação à sua fé, que virou o seu quotidiano, que se tornou um hábito, um exercício que não custa mais… Por exemplo, você que sobe escadas todos os dias, não lhe vai custar mais subir escadas amanhã, porque o faz habitualmente, mas se você não sobe, então vai custar-lhe subir as escadas, caso estas tenham muitos degraus. E isto é o que quero trazer à sua consciência, para que confira, porque a fé inteligente não é emotiva, não é o que eu quero que aconteça comigo ou aquilo que sinto. A fé não emotiva busca provas, avalia a minha própria conduta, as minhas palavras, as minhas decisões, etc. No final do meu dia, eu avalio o que que eu fiz com a minha fé, o que eu fiz com o que eu estou recebendo.
Por exemplo, aqui no Brasil, estamos dando a carta de decreto às pessoas que estão vivendo uma situação, um problema que tem decretado a morte, que tem decretado a separação, a discussão, os problemas familiares. E você, que está ouvindo o Bispo ou o pastor falarem sobre isso, será que dá apenas a carta para o indivíduo, sem exigir de si um sinal da sua própria fé? Será que apenas cumpre o seu dever, ou faz algo para realmente trazer uma pessoa e dar esses sinais para Deus? Você não pode ir à igreja de mãos vazias… Você tem que trazer resultados daquilo que ouve, daquilo que você crê! Porque se há crença, há obediência; se há obediência, há respeito… e se há respeito, existem sinais disso!

Existem pessoas que ficam ofendidas em ouvirem a verdade, quando alguém procura provas da sua fé. E isso é o que aconteceu com os principais sacerdotes.
Jesus fazia o que eles não estavam fazendo; Jesus Se preocupava, dava a vida por aqueles que O buscavam. Já os principais sacerdotes e fariseus, estavam no seu ambiente, e não seguiam Jesus, não procuravam exercitar a fé, copiar ou aprender do Senhor Jesus.

Como eles tinham uma posição, tinham o “respeito” das pessoas, em virtude da sua influência. Só que retidão e dignidade eles não tinham, porque não eram humildes e não conferiam a sua própria vida. E o que acontece? Não há sinais! E os sinais que o outro faz, quando exercita a fé, que sujeita, obedece e honra a Deus, com certeza agonia aquele que não faz.

E talvez você seja o tipo de pessoa que está me ouvindo agora, e que se sente agoniada porque a outra pessoa que chegou ontem, ou antes de você, está lá na frente, porque exercitou a fé, foi humilde, creu e obedeceu.

Minha amiga internauta, eu quero chamar a sua atenção, porque você até pode ser uma obreira, uma esposa de bispo, a esposa de um pastor, pode ser quem for, mas se não exercitarmos a fé, não vamos ter sinais da mesma. Vamos falar de um Deus vivo, de um Deus poderoso, mas não O traremos à evidência na nossa própria vida, apenas falaremos de coisas que acontecem na Bíblia. Como aconteceu com esses, que deram o recado para os fariseus, para os principais sacerdotes… falaram apenas do que viram.

Talvez você esteja vendo as coisas que estão acontecendo, está comentando até do que leu na Palavra de Deus, mas de fato não existem provas da sua fé; você não se assiste, não repara a si próprio. Conforme os principais sacerdotes:

“Se o deixamos assim, todos crerão nele, e virão os romanos, e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação.”

A preocupação dos principais dos sacerdotes, estava em perder a sua posição, o seu poder diante daqueles que os rodeavam. Eles não estavam preocupados por Lázaro ter ressuscitado, por ele ter recebido vida, porque houve uma grande maravilha de Deus naquele lugar… não estavam preocupados em ouvir a Jesus, que foi usado por Deus. Eles estavam preocupados com a sua própria vida.

E essas pessoas, que estiveram no nosso meio, que eram bispos, pastores, obreiros, e que não foram fiéis na sua conduta, hoje atacam a Igreja Universal; atacam pessoas que vivem exercitando a sua fé… E o fazem, porque, na realidade, eles ofereceram algo imundo, cego, sujo diante de Deus. E hoje condenam o que é perfeito, a oferta viva, a oferta pura que eles não conseguiram executar. E não aprenderam dos seus erros, e isso é que é o pior.

Nós não somos perfeitos, mas temos que aprender dos nossos erros, e não evitar pagar o preço pelos mesmos. Deus não livrou Daniel de ir à cova dos Leões, mas livrou-o da morte!
Deus não nos livra das tentações, dos problemas ou das dificuldades, mas a nossa fé nos livra de cair na tentação, ou a nossa fé corrige aquilo que está errado; sujeita-se, submete-se a toda a disciplina que tem que ter, para que então aprendamos com isso.

Minha amiga internauta, avalie a sua situação, avalie os sinais da sua fé… Não se compare com ninguém.
Nós demos aqui um exemplo que está evidente às nossas vistas, de pessoas que um dia estiveram no nosso meio, porque elas não conferiram a sua fé e deixaram de dar sinais para Deus e diante dos homens… deixaram de apresentar resultados dessa fé.

Um grande abraço para vocês e até amanhã.

Série: Ser o Testemunho

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

50 Comments

  1. Esse poste mim mostrou que não tenho mostrado sinais da minha fé….tenho vivido uma rotina….uma fé mêcanica….vou mudar hoje mesmo….avaliar a minha situação e corrigila

    Ver mais
  2. Olá dna Viviane.
    O que vi hoje e trouxe para minha vida, é que preciso ser humilde para aprender de Deus mas também tenho que exigir sinais da minha fé, senão serei uma religiosa.
    Um abraço!

    Ver mais
1 7 8 9