Voltando ao Passado – 65ª Parte

Viviane Freitas

  • 13
  • Dez
  • 2016

Voltando ao Passado – 65ª Parte

  • 13
  • Dez
  • 2016

Londres é um lugar muito movimentado. Muitas pessoas na rua. Muitas lojas lindas. Existem lugares bem surpreendentes. E dentro da igreja também, não havia forma das esposas estarem sem nada para fazer.

Havia classes de inglês de graça, abertas ao público, em algumas salas. E uma série de grupos de hospitais, de evangelização, etc. Um lugar marcante.

Eu morava na própria igreja. Algo que para mim era um sonho. Sonho por poder ter acesso ao Altar e fazer os meus propósitos pessoais com Deus. Para além de me dar oportunidade de servir mais tempo na casa de Deus.

Mas para cumprir aquele sonho, tinha que se criar oportunidade.

Porquê?

Eu morava na igreja e tinha inúmeras coisas para fazer. Quase que as esposas que moravam na igreja não se viam. Todas elas estavam sempre ocupadas, tanto com o serviço de casa, como da igreja. Quarta-feira e domingo, era o nosso encontro no salão da igreja.

Aquilo me incomodava, o fato de eu estar envolvida com tantas coisas, e ao mesmo tempo quase não me sobrava tempo a sós com Deus. Até que um dia, me cansei e pensei: “Quanto tempo esperei por um dia morar na casa de Deus, e agora, morando, não tenho quase tempo?” Defini um horário para acordar todos os dias. Confesso que o horário que me propus a acordar não era nada fácil. Era um sacrifício, pois todos os dias havia programa de tv tarde, o qual o meu marido fazia.

Quantas vezes acordei morrendo de sono! Perdi a conta. Mas lembro-me que eu queria muito, e sabia que o meu sucesso dependia desse momento. Então recordo, que um dia fiz uma separação dos demais dias, a seguir àquela oração rápida feita dentro do elevador:

Olhei no espelho do elevador, com os meus olhos piscando lentamente de tanto sono, e disse: “Deus, eu não aceito ficar com sono. Eu não aceito me apresentar diante de Ti, no Teu Altar, com palavras repetitivas e sem expressão, consumida pelo sono. Eu quero oferecer a Ti o meu melhor. Eu não sei o que o Senhor vai fazer, mas chegando no Altar terei que estar acordada.”

E assim foi. Meditava e orava em cima do Altar. Oh, que momentos maravilhosos. Isso me sustentava ao longo do meu dia. Mas confesso que depois do almoço batia um sono… e me permitia dormir, só quando já não aguentava mais.

O meu dia saía muito bem. Eu me sentia realizada com o meu momento em particular com Deus.

Nessa época, continuava a participar nos programas “Coisas de Mulher” com a Fernanda Bezerra. Ela era a apresentadora. A equipe do “Coisas de Mulher” era composta por 4 mulheres. Fazíamos uma reunião semanal sobre o tema que iria ser abordado no dia que gravássemos. Pesquisávamos assuntos, nos envolvíamos com o tema. Os programas eram bem inteligentes e tinham uma direção voltada para as mulheres. Falávamos de assuntos do quotidiano da mulher, sem envolver assuntos religiosos, o que nos fazia desenvolver mais os nossos raciocínios. Saíamos literalmente do nosso quotidiano para fazer algo totalmente diferente.

Eu me lembro que as minhas insatisfações com a minha participação, eu levava ao Altar, para que Deus me ajudasse e criasse em mim algo que eu não seria capaz.

Por causa do programa “Coisas de Mulher”, eu não investia no idioma inglês, porque tinha que aprender o português sem ser misturado com o espanhol.

Era uma guerra. Guerra dentro e fora de mim, para além de suprir o meu papel de auxiliadora e de esposa de pastor.

Mas tudo se ia encaixando. Aos poucos fui me adaptando melhor ao rítimo acelerado da Inglaterra. E o trabalho de Deus em mim estava atingindo mais a minha vida. O fato de viver dificuldades, uma atrás da outra, era uma grande oportunidade de me empurrar a viver uma fé mais inteligente, porque não tinha outra saída. Os sentimentos nunca ajudaram.

E o fato de levar ao Altar a minha vida, diariamente, para que Ele me conduzisse, era o segredo desses passos inteligentes na minha vida. O estar no Altar, era viver para servi-Lo, realmente independente da posição. Era e é o meu tudo.

Série: Voltando ao Passado

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

18 Comments

  1. Dona Vivi louvo a Deus pela sua vida,como a senhora tem me ajudado!!!Beijinhoss

    Ver mais
  2. D. Vivi,
    Estou no proposito dos 100% e hoje lembrei deste post, pois fisicamente falando estou na mesma situação que a senhora estava naquela época.
    Mais, eu não aceito ser religiosa, acordar pela manhã para meditar parecendo um zumbi.
    Eu quero e vou dar o meu melhor para Deus.
    Obrigada!

    Ver mais
  3. Muito forte a mensagem, me abençoou muito. Bj

    Ver mais
  4. Muito excelente essa mensagem. É bom te-la como uma pessoa usada por Deus, para nos mandar essas mensagens para quem esteja precisando. Obrigada dn. Viviane.

    Ver mais
  5. Dona Vivi,
    Aprendi muito lendo os seus post’s. Aprendi que a fortaleza se constrói com o tempo, as suas lutas e força para vencer o sentimento foram um exemplo para mim. Admiro a sua atitude de falar abertamente sobre pensamentos, experiências e sentimentos tão íntimos. Que Deus continue abençoando o seu trabalho. Espero poder um dia conhece-la pessoalmente.

    Ver mais
  6. Dona Vivi, cada dia que leio seu diário, torna-se um aprendizado para mim, suas experiencias de vida e sua sinceridade tem me ajudado muito, principalmente a refletir no meu interior.

    Ver mais
1 2 3