Voltando ao Passado – 63ª Parte

Viviane Freitas

  • 29
  • Nov
  • 2016

Voltando ao Passado – 63ª Parte

  • 29
  • Nov
  • 2016

Aquela oração definida e inteligente, mudou as minhas reações. Não que eu estivesse “forçando a barra” para mudar. Mas a decisão de olhar para a fé, e para aquilo que eu creio, fez-me visualizar os sentimentos como meus inimigos, algo que pouco a pouco foi tomando conta de todo o meu ser. Ganhei um ódio, um verdadeiro ódio contra o sentimento. Não um ódio contra mim e nem da situação, pois eu bem sabia que, independentemente da situação ou daquilo que eu vivia, eu tinha o Espírito Santo. E o Espírito Santo não me foi dado para viver frustrada ou derrotada. Aquele ódio do sentimento, fez-me ficar em alerta, no meu dia-a-dia, contra os sentimentos.

Então surgiu uma situação…. Como a minha irmã estava para ir embora, todas as esposas que a conheciam de perto, sofriam com a sua ida para fora do país. E uma das esposas disse para mim: “Olha Viviane, eu não vou descer para me despedir da Cris não, senão vou chorar.”

E antes de eu contar para você a minha resposta, tem que saber que eu estava um “poço” de sentimentos. E tudo à minha volta se tornava muito difícil de resolver. Uma vez eu fiz o programa “Coisas de Mulher” para me despedir da minha irmã, e só chorava. Nem me lembro da minha dedicatória, pois o que me marcou foi a minha emoção. Nem conseguia completar a frase, de tanto que eu chorava. Para mim, foi uma vergonha; não a vergonha de saber que sentiria falta dela, mas vergonha pela fé que eu professava.

Então, todo o meu “quadro” estava diante de mim: A minha conduta, as minhas reações, os meus conflitos, a Palavra de Deus, que estava recebendo. E então… aonde estava a minha fé? E o Espírito Santo? Aonde estava o Deus todo poderoso na minha vida? Aonde estava a minha oferta? A minha crença viva? A minha fé? A minha devoção?!

A fé nos traz o senso de responsabilidade de cumprir, como também de honrar. Se eu cumpro, eu obedeço, e tudo dá certo. Se eu não cumpro, não obedeço e desonro Aquele que me revelou a fé. Este senso de responsabilidade, permite-nos assumir as nossas falhas. E nos faz estarmos atentas a tudo o que estamos apresentando.

Como serva e filha, não quero trazer apenas problemas para Ele solucionar, mas quero honra-Lo com a minha vida. Dai o ódio contra os sentimentos que estava vivendo. Estava ciente que a minha oferta não estava honrando a Ele.

Agora imagine você identificar isso, e ficar indiferente! Não seria uma forma de você questionar a sua própria fé ou até mesmo o batismo com o Espírito Santo?

Bom, graças a Deus que a fé me foi revelada, e detectei no instante, a falta de qualidade da minha oferta.

E é por isso que agora vocês vão levar um choque! Porque qualquer coisa que ameaça a minha fé, ou me faça tolerar o erro, depois de estar ciente da minha situação, me transforma num “touro” contra aquilo que me enfraquece. Foi quando falei à esposa:
“Olha, eu não vou chorar não, quando a minha irmã for embora!” (Já tinha estado com ódio daquilo que me fazia fraca, e também estava odiando aquilo que ela estava vivendo. Não ela, mas o sentimento que nos faz uma “presa”).
E a esposa ficou calada. Então eu disse: “Você sabe porquê?” Ela me respondeu: “Não.” Então disse-lhe: “Porque Moisés é morto!”

Quando mencionei isso, não queria dizer que a minha irmã era morta. Tá amarrado isso! Mas porque eu tinha que olhar para a frente, e não ficar apegada ou me sentindo inferior ou pequena, diante daquilo que Deus me deu como responsabilidade. E queria que ela fizesse o mesmo, e não estivesse vivendo como também eu estava vivendo. O ódio agora era uma força contra o pecado que eu havia apresentado a Deus. E qualquer pessoa em quem eu identificasse esse mal, eu “avançava” na fé, como um “touro”.

E é engraçado, isso! Porque a fé é dada a você. A força, a determinação, a correção contra aquilo que a faz agir contrariamente à fé, são imediatas, quando você é definida na sua fé, e consequentemente na sua oração. Não há como você ser fraca e levar anos na sua vida sem uma definição na sua fé. Porque Deus nos deu inteligência, justamente para medirmos, para conferirmos o que é real na nossa vida. Essa inteligência, ou esta fé inteligente, não se apoia no fato de ser batizada com o Espírito Santo, pressupondo com isso que tudo vai dar certo. Se eu não vigiar, não tem como eu seguir adiante.

Série: Voltando ao Passado

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

17 Comments

  1. Vivi,
    A despedida é um sentimento natural, não vejo vc demonstrar seus sentimentos seja fraqueza,afinal de contas é um gesto de amor.
    Minha cachorrinha morreu meu Deus achei q tinham enfiado uma faca no peito porque ela era minha filha amada.
    Sei q temos q saber separar as coisas.
    Sentir nos sentimos afinal estamos nesse corpo de carne ,isso é inevitável.
    Por isso expressar a um amigo ou a família q sentimos sim quando estão de partida não nos deixa menor.
    Na fé

    Ver mais
  2. Dna. Vivi, identifiquei me totalmente com sua situação, essa de sentimentalismo que me traz vergonha de estar a desonrar o Nome dEle na minha vida. E de a minha oferta estar a ser má. Dá revolta e agora sei como agir contra esse sentimentalismo qn m deixava acertar. Esta semana temsido semana de revelações, mas vou fazer diferentedas outras vezes, vou agir a fé e determinar o meu livramwnto de td aquilo que me aprosiona. Obrigada.
    Na fé,
    Abraço

    Ver mais
  3. arrebentou

    Ver mais
  4. Os sentimentos são meus inimigos, inimigos da minha fé. Uma luta não só diária, mas a cada instante do dia.

    Ver mais
  5. Eu luto contra estes sentimentos que é o verdadeiro retrato do diabo. É preciso vigiarmos porque quando menos esperamos, ele está lá colocando suas garras pra ver se nos pega na fraqueza. O sentimento nos trás o desânimo, a tristeza, a fraqueza…tá amarrado. Eu sou forte,sem sentimentos. Graças a Deus! Eu sou fraca, com sentimentos. Tá amarrado!

    Ver mais
1 2 3