Fadiga, Alteração De Peso, Queda De Cabelo X Tireoide:  Conheça As Causas E Sintomas

Viviane Freitas

  • 23
  • Out
  • 2013

Fadiga, Alteração De Peso, Queda De Cabelo X Tireoide : Conheça As Causas E Sintomas

  • 23
  • Out
  • 2013

Queridas Leitoras,


Incrível como cada parte do nosso corpo, por mais pequena que seja, tem uma função extraordinária!

Como Deus fez tudo perfeito, não é mesmo?! Já ouvi casos de mulheres que, de uma hora para a outra, engordaram ou emagreceram muito. Por isso, pedi à Doutora Albertina Vieira que nos explicasse um pouco sobre o que é a Tiróide.  Vale a pena ler e informar-se sobre esta pequena glândula de grande valor em nosso corpo.

O Que é a Tiróide ou Tireoide?

A tiróide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, tem forma de borboleta e possui 2 lobos (direito e esquerdo), unidos por uma parte central, chamada istmo.

É necessário iodo para que a glândula tiróide produza duas hormonas:
a)Tiroxina (tetraiodotironina) ou T4 (80%)

b)Triiodotironina ou T3 (20%)

A atividade destas hormonas é feita sob regulação de uma outra hormona, a TSH (hormona estimuladora da tiróide), produzida por outra glândula existente no cérebro que se chama glândula hipófise, e esta por sua vez, é regulada pela TRH produzida noutra parte do cérebro, o hipotálamo.
As concentrações destas hormonas tiroideias no sangue influenciam a produção de TSH pela hipófise da seguinte forma: se houver aumento de produção das hormonas T3 e T4, a hipófise para compensar, diminui a produção de TSH; por outro lado, se houver uma diminuição de produção de T3 e T4, a hipófise aumenta a produção de TSH. Deste modo equilibrado e harmonioso, o organismo tenta manter os níveis das hormonas tiroideias no sangue, dentro dos parâmetros normais.
Quais as Funções da Tiróide?
As hormonas da tiróide são fundamentais para a regulação da temperatura corporal, da tensão arterial, da frequência cardíaca, da força muscular, do funcionamento do intestino, da memória, do estado de humor, do colesterol, etc. A sua falta provoca o aparecimento de sintomas relacionados com a falência dos mesmos, pois o desequilíbrio na produção de T3 e T4 pode manifestar-se como Hipotiroidismo (diminuição) ou Hipertiroidismo (aumento).
Tal é a importância destas hormonas que o seu défice na infância é responsável pela Cretinismo, doença que se caracteriza por um atraso no desenvolvimento físico e mental.

Quais as principais doenças e os seus sintomas?

1-HIPOTIROIDISMO: resulta da diminuição ou ausência total de produção de hormonas tiroideias, e pode ser causado por:

– Falta de estímulo da TSH pela hipófise, como acontece em certas doenças cerebrais;
– Falta de iodo na alimentação;
– Doenças auto-imunes, como acontecem na chamada Tiroidite de Hashimoto, provocada por anticorpos contra as células tiroideias;
– Após cirurgia com excisão parcial ou completa;
Os sintomas vão desde cansaço, sonolência, letargia, falta de concentração, pele seca e rugosa, queda de cabelo, aumento de peso, irregularidades menstruais, prisão de ventre, maior intolerância ao frio e nas situações mais graves insuficiência cardíaca.

2-HIPERTIROIDISMO: é o oposto do Hipotiroidismo. No hipertiroidismo verifica-se um aumento da produção das hormonas tiroideias. A sua causa é na maioria dos casos provocada por:

– Anticorpos (80% dos casos), isto é, presença de anticorpos que estimulam o aumento de produção de hormonas da tiróide, levando ao aparecimento de Bócio toxico difuso ou doença de Graves.
Os sintomas mais frequentes são: ansiedade, insónia, nervosismo, irritabilidade, perda de peso, palpitações (aumento da frequência cardíaca), diarreia, irregularidades menstruais, intolerância ao calor, fraqueza muscular, oftalmopatia (olhos proeminentes).
3-Nódulos: são devidos a um conjunto de células que se organizam no interior da glândula, constituindo nódulos de natureza sólida ou líquida (quistos)
A maioria dos nódulos são assintomáticos e não estão relacionados com cancro. São geralmente detetados por acaso e podem não alterar a produção de T3 e T4. Por vezes é necessário efetuar uma biópsia para determinar o seu prognóstico.

Estudo e exames clínicos
1-    Observação por um médico que fará a palpação do pescoço para delinear o tamanho, configuração e mobilidade da glândula tiróide, e constatará ou não a presença de nódulos;
2-    Avaliação periódica através de estudo funcional para a determinação dos níveis sanguíneos das hormonas T4 e TSH e pesquisa de anticorpos anti-tiroideus;
3-    Ecografia tiroideia que permite ao médico não só saber o tamanho e contornos da glândula, existência de nódulos e a sua natureza (sólida ou quística), como também avaliar a resposta terapêutica com estudos sequenciais;
4-    Se necessário complementar com Cintigrafia tiroideia para detetar zonas de maior ou menor captação de iodo ou outra substância radioativa;
5-    Biópsia ou citologia aspirativa (análise das células para determinar se é benigno ou maligno).

Tratamento e follow-up: Sempre que possível deverá ser feito sob a orientação de um Endocrinologista, e irá depender dos resultados dos exames realizados.
Poderá ser necessário:
– Apenas vigilância e acompanhamento regular, sem necessidade de qualquer medicação, se os níveis hormonais estiverem normais.
– O uso de medicamentos para repor as hormonas no caso de hipotiroidismo, ou para diminuir o excesso, no caso de hipertiroidismo. Estes medicamentos poderão ser para o resto da vida, com os ajustes que se acharem necessários.
– Tratamento cirúrgico (excisão parcial ou completa da glândula tiróide).

Dr.ª Albertina Vieira

Leia mais dicas de saúde no link

*As informações oferecidas neste blog não são individualizadas, portanto, não substituem o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

1 comentário

  1. Muito bom o Blog!!!

    Ver mais