Eu sou o que penso

Andreia Petrucci

  • 8
  • Jun
  • 2015

Eu sou o que penso

  • 8
  • Jun
  • 2015

Eu sou o que penso… e isso transmito!

Já passou por aquela situação em que perdeu algo, ou que não lhe foi confiada uma certa responsabilidade porque as pessoas não depositaram em si a confiança suficiente?
Será que de alguma forma não faltou credibilidade nas suas palavras ou atitudes?!

Recentemente, porque já não conduzia há alguns meses, não demonstrei a confiança suficiente para o fazer. Por vários motivos, dentre os quais estar num país diferente, não conhecer as ruas, etc., mas a verdade é que quando o meu marido me perguntou, não percebeu segurança em mim, pela forma como reagi. Obviamente ele tomou a frente, e eu fiquei de certa forma frustrada com a minha reação…

Aprendi a minha lição!
Numa outra oportunidade, nem pestanejei… Encarei confiante o “desafio” e fiz prevalecer o que de facto sabia.

Porque decidi assumir a confiança em mim mesma, isso também não deixou dúvidas para os demais.

Obviamente que é um exemplo simples, do dia a dia, mas que pode identificar quem somos perante qualquer tipo de desafio ou fora da nossa área de conforto.

E sabe a que conclusão cheguei?

Se interiormente eu não estiver confiante; se não tiver certeza daquilo que quero fazer ou se não tiver objetivos, isso instantaneamente será transmitido aos que estão ao meu redor. Se eu não revelo confiança nas minhas próprias habilidades, será que posso exigir que os demais o façam em relação a mim?

Por isso às vezes surgem questões:

“Porque é que o meu marido não confia em mim na gerência das finanças do lar?”
“Porque motivo os meus filhos apenas respeitam o pai, e a minha voz não tem eco?”
“Será que eu não tenho condições para ser promovida? Porque é que sempre outro(a) colega ocupa o lugar que eu quero?”

Mas deverá usar, ao invés, usar a fé inteligente e perguntar:

“Que imagem tenho transmitido às pessoas que me rodeiam?”
“Mesmo professando uma “fé”, será que tenho sido uma pessoa confiante, positiva, aguerrida, desafiadora?! Ou perante os desafios eu retrocedo, vacilo, não faço uso da minha fé?!”
“Será que realmente eu provo que creio através das minhas atitudes?”

Amiga, a estas questões só você poderá dar resposta…

“Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso, e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta.” (Hebreus 12.1)

Se não transmitir confiança aos seus filhos ou familiares, ou mesmo credibilidade nas suas palavras, estes não o (a) seguirão. Ou se o fizerem, fa-lo-ão apenas por obediência, por um tempo…

E o mesmo se aplica no seu trabalho, com o seu patrão, colega ou amigos. A forma como reage, fruto dos seus pensamentos, influenciará o modo como será tratado(a), visto(a) e até seguido(a)… Porque é através daquilo que transmitimos: Dúvida, medo, insegurança ou FÉ, que serão definidas as respostas na nossa vida e ainda influenciaremos os demais, de forma positiva ou negativa.

Ou pensa que sendo uma mãe que não passa exemplo, lhe adiantará dizer à sua filha o que ela deve ou não deve fazer? Ou acha que gritando dia e noite, como uma forma de se expressar, adiantará dizer aos seus filhos para não o fazerem em meio a um desentendimento?! Eles não seguem palavras, mas exemplos. Crescerão a pensar que isso é normal, até aprenderem o contrário!

Eu sou aquilo que penso… e isso é o que transmitirei, inevitavelmente. Portanto, não arranje “bodes expiatórios” para os seus supostos fracassos. Veja dentro de si, analise, pondere e avalie quem tem sido diante de Deus, e de que forma tem feito uso da sua fé, pois tudo o que “colhemos” é, afinal, resultado do que alimentamos interiormente.

Para a semana daremos continuidade a este tema…

Entretanto teremos todo o gosto em ler os seus comentários e compartilhar das suas experiências.

Deus abençoe a todas. Na fé!

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

36 Comments

  1. O fato é que por muitas vezes queremos que as pessoas nos enxerguem como alguém digna de confiança, sendo que as vezes nem nós mesmas temos confiança em nós para desempenhar determinada função, ou seja, o que nós somos é fruto do que pensamos e isso influenciará a maneira com que os outros nos enxergará.

    Ver mais
  2. De fato tudo o que eu precisava ouvir.. simplesmente negamos nossa fé quando nao tomamos uma posição bem definida!

    Ver mais
  3. Realmente nós somos e vivemos do resultado do que alimentados dentro de nós.
    Com o tempo tive que aprender a ser e ter confiança em mim, antes eu me escondia atrás das minhas amigas quando chegávamos a um determinado lugar ainda que fosse para tratar algo que fosse do meu interesse eu era incapaz de ir sozinha mas esperava que a«uma das minhas amigas estivesses disponível e mesmo acompanhada eu nunca abria a boca pedia que elas falassem por mim.~
    Pois eu achava que não iriam levar-me a sério, que minha altura, aparência não era suficientemente boas para que se ouvida, levada a sério e atendida.
    Mas graças a Deus eu desabrochei a minha mente abriu e tenho me superado a cada dia.

    Ver mais
  4. De la forma que pensamos o como pensamos, se refleja en nuestras actitudes.

    Ver mais
  5. Muchas gracias Señora me ayudo bastante y lo pondré en practica

    Ver mais
1 4 5 6