De mãe para mãe: Como corrigir meus filhos?

Viviane Freitas

  • 3
  • Abr
  • 2015

De mãe para mãe : Como corrigir meus filhos?

  • 3
  • Abr
  • 2015

Antigamente havia a crença de que “para aprender era preciso sofrer”; sabe aquele pensamento de que se não doesse na criança, a repreensão não era eficaz?

Então, a criança levava uma “tareia” para entrar na linha ????, não somente sofria com agressões físicas, mas também verbais, era humilhada e maltratada. Vivíamos numa outra época e mesmo assim faço a pergunta: “Como tanta coisa má e negativa poderia trazer um resultado bom e positivo?”
Impossível!!
Tivemos sim crianças mais respeitadoras, porém por medo. O ato de bater numa criança não a educa para que tenha domínio dos seus impulsos e nem controla a sua própria vida. Devemos aplicar a autoridade não de forma violenta, mas com carinho, amor e respeito.
Entendemos ao longo do tempo que a palavra disciplina, é derivada da palavra “discípulo”, que por sua vez significa, “seguidor de um mestre”. Um discípulo segue o seu mestre não porque tem medo de ser castigado, mas porque possui uma profunda convicção nele. Portanto, meu primeiro conselho é “O temor a Deus”. Se os nossos filhos forem disciplinados na Palavra de Deus e de acordo com ELA, crescerão tementes e discípulos do Senhor Jesus.

Fora isso, os nossos filhos necessitam de regras e limites e devem ser ensinados a seguí-las mesmo quando não concordem.
Se houverem regras, ensinará aos seus filhos que ao não cumprí-las, terão danos.
Se houverem limites, poderá ensiná-los que quando forem ultrapassados, terão que se responsabilizar pelos seus atos e colher os frutos da desobediência e do erro, que é sempre algo mau.

Então, se por acaso, o seu filho está a crescer livre, vamos te ajudar a mudar esta situação, ok?

A primeira coisa que deve fazer é:

Conversar com o seu marido e juntos decidirem as novas regras da casa, tudo de acordo com a necessidade de limites para o seu filho e tendo em mente que as regras devem ser protetoras e não persuasório.

Com as regras decididas, faça um quadro (pode ser feito no computador, à mão, ser em cartolina ou quadro magnético …) onde as regras estejam escritas ou se no caso o seu filho ainda for pequeno, um quadro com os desenhos que simbolizem as regras, tudo de acordo com a idade correspondente. Comece com 3 regras e aos poucos acrescente as demais.
Então irá explicar ao seu filho cada regra e fazê-lo entender o “porquê” de cada uma. É muito importante a mensagem de que “os pais preocupam-se com os filhos, com o que possa acontecer, e através destas regras será uma forma de os protegerem e ensinar”. Quando acredita numa regra, a criança cumpre-a e se auto-disciplina.

Regras no quadro e tudo explicado; bem como consciencializar o seu filho que daquele momento em diante ele terá que seguir todas aquelas regras.

– Na parte inferior do quadro escreva o que acontecerá quando ele não cumprir com alguma das regras. O descumprimento delas deve gerar perda, seja ela de tempo na TV , vídeo game, brincar, ou qualquer outra atividade que ele goste.
*Na minha casa o descumprimento de qualquer regra leva o Gabi a ficar sem 1 das atividades que citei acima; o descumprimento de 2 regras ele perde o direito de TV por 1 dia ou até 1 semana; e o descumprimento de 3 regras ou algo muito grave ele perde 1 treino de futebol que é a coisa que ele mais gosta de fazer.

A continuidade do descumprimeto de uma mesma regra ou alguma atitude expressamente proibida, podem levá-lo à correção. Esta deve ser de forma sóbria, ou seja, se a mãe estiver alterada avise o seu filho que ele será corrigido e espere passar esse momento de tensão. Não faça enquanto não se acalmar, sabe porquê? Porque quando estamos abaladas, temos a tendência de materializar e descontar a raiva,e isso não é bom, ao invés de ser uma correção será o seu descarrego de nervos e isso mostra falta de domínio próprio, o que pode magoar o seu filho e tornar-se rebelde, agressivo e revoltado com a situação, para além de afastá-lo de si.

Lembre-se que: “maltratar seu filho é ensiná- lo a ter medo, a ficar ressentido e desejar vingança.” Ou seja, muito errado!

Logo que entrei na igreja, eu aprendi que não devemos repreender os nossos filhos com as nossas mãos, pois elas devem servir para abençoá-los. E como da mesma mão sairiam bençãos e repreensão? Assim sendo, não use as suas mãos para corrigí-lo, mas que ao levantar a sua mão o seu filho jamais corra ou tema, mas que ele abaixe a cabeça, pois sabe que irá com as suas mãos somente para o abençoar, amém?

Então, como devo corrigí-lo?
A Palavra de Deus fala sobre a “ vara”,

“A tolice está ligada ao coração do menino, mas a vara da correção a afugentará dele.” (Provérbios 22.15)

Eu e o meu esposo temos uma vara em casa, consagramos ela a Deus e nela o Gabi não toca, ele sabe que somente a mãe e o pai podem usá-la. Usamos em casos muito raros, pois a perda de atividades que ele gosta, o leva a obedecer a nós e às regras, porém em casos extremos onde necessitamos corrigí-lo, então usamos uma ou duas varadas no “bumbum”.

Fazemos da seguinte forma:
Levamos o Gabi para o quarto dele e lá conversamos sobre a regra que ele não cumpriu ou alguma atitude muito errada que teve, sempre damos a oportunidade de ouví-lo antes da repreensão, nunca o corrigimos de surpresa ou sem que ele saiba o porquê de estar a ser corrigido, não! Neste momento lembramos das vezes em que o ensinamos que não deveria fazer, das vezes que relembramos sobre a atitude errada e também da oportunidade que demos ao avisá-lo que se ele não cumprisse mais uma vez, seria repreendido. Depois de conversarmos com ele, pedimos que se vire e repreendemos. Claro que ele chora, mas como estamos tranquilos, podemos então acalmá-lo, dizer que estamos a corrigí-lo porque o amamos muito e queremos que ele seja uma criança e jovem de Deus obediente. Em seguida, o abraçamos e depois oramos juntos, onde ele pede perdão a Deus por ter errado e pedimos para que Deus venha a confortá-lo, que ele não venha a ficar triste e que possa aprender para que jamais volte a efetuar novamente e precisar ser corrigido outra vez. Pronto! Após isso ele sempre pede perdão e diz que entende que fazemos para o seu bem, então conversamos e vemos que não houveram gritos, desespero, choradeira e muito menos escândalo, tudo é feito com muita consciência, certeza da necessidade e Fé .

“A vara da repreensão dá sabedoria, mas o jovem entregue a sí mesmo, envergonha a sua mãe.” (Provérbios 29.15)

Queridas mães, espero ter ajudado a entenderem um pouco sobre a necessidade de nos empenharmos em regras, limites, discipular e corrigir. Que o Espírito Santo possa inspirá-las e dirigí-las para que eduquem os seus filhos da melhor forma e na Presença Dele.

Temos esta preciosa missão em nossas mãos, e cabe á nós exercê-la da melhor forma. Todo o empenho e esforço valerão a apena, creia!

Com carinho, Josi.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

18 Comments

  1. Gostaria de agradecer imensamente a Deus por ter usado a senhora nesse e em todos os posts. Estava sem saber como repreender meu filho sem ter que agir com a força do braço, pois não consigo mais levantar a mão á ele, pois antes de conhecer a Deus, antes de chegar até a igreja eu batia nele a ponto de machucar, e ele era apenas um bebê. E acredito que tenho carregado uma certo trauma onde tem me anulado a corrigi-lo corretamente. Irei ler esse post inúmeras vezes se for preciso rsrs ! Colocarei em prátia ! E tenho certeza que irei criar um Filho para Deus !! Deus abençoe a Senhora !!

    Ver mais
  2. Obrigada pelo conselho adoreiiiiii cada palavra e frase .

    Ver mais
  3. Dna Josi que forte! Tenho uma filha de 4 anos, por precisar trabalhar para ajudar nas despesas da casa minha filha fica com a babá, é uma guerra pois ela se inspira nas suas filhas adolescentes que não servem a Deus, antes ficava brava mas fui pedindo a direção de Deus o MESMO foi me orientando hoje ela se preocupa até com a roupinha que vai para igreja. Com certeza esse post acrescentou muito na educação da minha filha.
    Um grande beijo!
    Continue a postar tem nos ajudado muito.

    Ver mais
  4. Obrigado pelo Conselho to precisando faz isso com a minha filha de 5 ano ela ta muito abençoada ?

    Ver mais
  5. Gracias sra aprendi una direccion de como diciplinar a mis hijos que voy a poner en practica.

    Ver mais
  6. Aprendi muito… Muito obrigada pelos ensinamentos. Tenho um filho de 4 anos e ainda estou na fase de elaborar as regras. Infelizmente eu trabalho muito e não tenho muito tempo, mas o pouco que tenho aprendi que deve ser feito da melhor forma possível. Obrigada mais uma vez…continuarei acompanhando os posts. Abraços.

    Ver mais
1 2 3