Como superar uma perda?

Viviane Freitas

  • 22
  • Mar
  • 2011

Como superar uma perda?

  • 22
  • Mar
  • 2011

Impotência, frustração, dor, choro, sentimento de fracasso, se perde a esperança, a vida parece não ter mais sentido.

Todos perdemos, algo ou alguém, e nos vemos massacrados por esse turbilhão de sentimentos que parecem, primeiro, nos deixar sem atitude e depois, com o passar dos dias, nos mata pouco a pouco.

Eu já também já perdi, em alguns momentos da minha vida: Quando me casei, tive que deixar a casa do meus pais para assumir minha nova condição de esposa. Todo o ambiente de proteção, de cuidado e atenção que minha família sempre me proporcionou teve que ficar para trás.

Cabia a mim agora, a tarefa de formar uma família, e tive um ótimo exemplo em casa!

Alguns anos depois, me sentia realizada: como esposa, como mãe, como a melhor amiga da minha filha…

Mas aconteceu algo inesperado – perdi meus filhos – os dois ao mesmo tempo. Tudo desmoronou, sofri muito, chorei, por uma dor insuportável que me sufocava. Me vi sem forças, sem atitude, mas consegui vencer esse sentimento que domina por completo nossa razão.

Para se sincera, parecia que não iria suportar aquela dor cruel. Só existiam lembranças boas, saudades e uma voz tenebrosa que parecia me compreender, porém acusadora. Era um sentimento terrível! Estava fraca e muito sensível!
Eu fiz o que sempre aprendi. Pedi forças a Deus, porém os sentimentos e a lembrança gostosa do passado me mantinham presa a dor. Não conseguia ver o além, e nem o melhor para mim.

Parecia ter perdido o meu chão, mas vi que enquanto eu alimentava aquela dor, aquele sofrimento, ele não iria embora, mesmo crendo em Deus.

Deus falava comigo, a voz Dele era bem baixinha. Descobri uma coisa, a voz do meu ego era mais forte que a Dele. É claro, que Ele me respeita, e deixou eu tomar as minhas próprias decisões.

E eu tomei, contra a minha vontade. Fui no altar de Deus, na minha Igreja, e ofereci aquilo que eu não queria entregar. Mas entreguei, chorando, sabendo que estava nutrindo algo que não me trazia nenhum benefício. Eu decidi entregar não somente meus filhos, mas os sonhos de ter outro para substituir aquela dor.

Quando desci daquele altar, me vi, como se estivesse diante de um espelho, e vi o quanto eu estava lutando somente pelos meus direitos (como mãe), e não de dar a aqueles que sofrem o meu apoio.

—— Mas, você tem direito de ser feliz! Talvez você esteja aí se perguntando —-

Sim tenho todo direito! Porém, não tinha como trazer os meus filhos de volta! Não tinha como ficar vivendo de uma dor que não teria solução! E porque seguir alimentando somente os meus sentimentos, que não me traziam nada de novo?
Realmente tive que ser dura comigo mesma, a ponto de não ser compreendida pelas demais pessoas. Foi isso que me capacitou, porque dei a Deus o que mais eu queria.

Sentimento é a força do nosso coração. Ele se alimenta do sentir, de tudo que machuca. Mas o que salva e nos capacita sermos livres, é o dar, é entregar ao que nos pertence.
Se hoje tenho forças para relatar algo tão pessoal, é para que você saiba que também sou “humana” e sujeita as mesmas perdas que você tem sofrido em sua vida. Mas de onde saquei forças, de onde veio o socorro?

—E o que aconteceu comigo depois de entregar meus sonhos? —

Tudo se fez novo dentro de mim, tive milhares de filhos (não biológicos), que me trazem mais alegria, me sinto mais realizada porque são filhos que dão valor a todos meus ensinamentos.

—E eu como pessoa e ex-mãe?—

Me sinto livre, e muito feliz, com o que Deus fez dentro de mim. Tudo se fez novo, a Vivi egoísta foi embora junto com os pesos da alma.

Seja o que for que você tenha perdido, já se foi, existem novas conquistas esperando por você. Não seja escrava(o) dessa dor, você pode ser mais forte que ela!

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

122 Comments

  1. Viviane, sua historia é emocionante. Realmente nos motiva a seguir, a continuar. No ultimo dia 08 completou 1 ano que minha filha de 17 anos nos deixou. Nosso mundo desabou, minha esposa está muito debilitada e sofrendo a perda de forma intensa. Temos um filho de 15 anos que tem sido um valente e nos ajudado muito. Peço orações pela vida da minha esposa, eu creio que ela vai vencer esta dor assim como você.
    Agradeço muito por compartilhar sua experiência conosco.

    Ver mais
  2. Perdi meu filho aos 17 anos,faz 2 anos .Me admirei com sua força a dor e saudade ainda fala mas alto no meu coração amo o meu Deus ,sim ele faz mediante a nossa fé maravilhas em nossas vidas.
    A morte se faz um mistério ,a eternidade a certeza de rever nossos filhos.
    Eu vivo um dia por vez,e nele sempre meu filho amado é lembrando.cada mãe e pai sempre achará um jeito de amenizar sua dor e saudade.
    Porque nunca ceremos os primeiros e também nem os últimos a perderem bens preciosos para o dono de tudo” Deus” eu esperei por um milagre mas ele não veio. por motivos que só o pai sabe.hoje eu agradeço a Deus por me amar tanto e ter dado seu filho Jesus por mim.

    Ver mais
  3. parecem ser vedadeiras as suas palavras, ainda estou horas buscando forças horas mergulhando na dor de perder minha filha que se matou aos 12 anos, a poucos dias atrás. Oro a Deus pedindo paz e luz pros caminhos da minha filha e pros nossos, mas me pego sempre angustiada com a saudade e a incapacidade de não ter consiguido evitar o que aconteceu. Queria que tudo isso fosse apenas um sonho ruim e eu acordace e tivesse outra chance de ser uma mãe melhor pra ela. Obrigada pelas palavras.

    Ver mais
    1. Peço um pouco da sua atenção e generosidade! Estou a conduzir uma investigação com o objetivo de ajudar a compreender quais os mecanismos de coping utilizados pelos pais que perderam um filho, mais particularmente se as crenças que estes possuem ou não, ajudam a ultrapassar com menos pesar esta perda imensa. Neste sentido, venho pedir-lhe por favor para me responder ao novo questionário, demora alguns minutos e de certa forma vai ajudar-me a compreender melhor a situação dolorosa que é perder um filho e consequentemente ajudar outros na mesma situação. Também peço caso tenha um parceiro/a que partilhou a mesma experiência, que peça para este/a também responder. É realmente importante.
      Agradeço imenso o apoio que me têm dado e as histórias que partilharam comigo, caso tenham alguma dúvida sobre o estudo não hesite em contactar-me. Pretendo, assim que o estudo tiver concluído publica-lo para que quem me ajudou veja para o que contribuiu e para que outros pais se vejam também espelhados no meu estudo. Deixo-o/a com o pedido mais formal e com o url do questionário.
      No âmbito da Tese de Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde do Instituto Universitário da Maia, encontro-me a realizar um estudo sobre o processo de luto face à perda de filhos. Este trabalho procura analisar a importância da existência ou não de uma crença durante o processo de luto dos pais. Solicito deste modo a sua participação neste estudo através do preenchimento de um breve questionário. Todas as suas respostas são anónimas e confidenciais e destinam-se exclusivamente a serem analisadas no âmbito deste estudo.

      https://qtrial2015az1.az1.qualtrics.com/SE/?SID=SV_8qpNjkvbw9qGVw1

      Agradeço a sua colaboração. As suas respostas vão permitir uma melhor compreensão e uma melhor ajuda a pessoas em situações de perda.
      A investigadora,
      Nicole Ribeiro

      Ver mais
  4. Bom dia !
    Nossa ! Que história a sua hein !
    Com certeza Deus tem algo lindo com vc.
    Hoje estou muito arrasada sabe, estou grávida de 5 meses e papai do céu levou minha mãe.
    É algo surreal, uma dor inexplicável e uma perca irreparável. Ela, minha eterna rainha, mãe, amiga, estava tão feliz com o netinho que está por vir, e eu tudo participava ela, tinha tantos planos para o mês que vem que estou de férias, mas foram interrompidos de uma forma tão abrupta… Ai nem sei…tudo perdeu a graça… Meu telefone não toca e não posso mais ligar para ela, meu Deus…não suporto a ideia de não ouvir mais sua voz, de não receber mais seu beijo, seu abraço, seu sorriso… Amoooooo demais minha mãe, sempre fiz tudo por ela e gostaria de continuar fazendo… Deus me ajude

    Ver mais
    1. Perdi meu filho aos 17 anos,faz 2 anos .Me admirei com sua força a dor e saudade ainda fala mas alto no meu coração amo o meu Deus ,sim ele faz mediante a nossa fé maravilhas em nossas vidas.
      A morte se faz um mistério ,a eternidade a certeza de rever nossos filhos.
      Eu vivo um dia por vez,e nele sempre meu filho amado é lembrando.cada mãe e pai sempre achará um jeito de amenizar sua dor e saudade.
      Porque nunca ceremos os primeiros e também nem os últimos a perderem bens preciosos para o dono de tudo” Deus” eu esperei por um milagre mas ele não veio. por motivos que só o pai sabe.hoje eu agradeço a Deus por me amar tanto e ter dado seu filho Jesus por mim.

      Ver mais
1 14 15 16