Armário de medicamentos caseiro – Parte 1
barbara

Bárbara Filipe

  • 20
  • Dez
  • 2015

Armário de medicamentos caseiro – Parte 1

  • 20
  • Dez
  • 2015

Ter um armário de medicamentos em casa, permite-nos dispor dos recursos necessários para prestar os primeiros socorros, para tratamento de sintomas ligeiros de dor, bem como de pequenas lesões acidentais (traumatismos, queimaduras ou golpes).

Dependendo da época do ano, ou em determinadas circunstâncias, podem ser necessários medicamentos para sintomas de resfriado, diarreia, obstipação, flatulência, micoses, picadas de insetos, soluções de reidratação oral, protetor solar ou produtos para acalmar as queimaduras solares.

Vamos então organizar o armário?

Deixo aqui uma listagem com as coisas essenciais:

  •  Pensos rápidos
  • Compressas esterilizadas
  • Adesivos
  • Tesoura
  • Ligaduras
  • Luvas cirúrgicas
  • Máscara cirúrgica
  • Termómetro
  • Soro fisiológico em unidose estéril
  • Desinfetante líquido
  • Desinfetante em creme
  • Analgésico oral para aliviar a dor e baixar a febre
  • Anti-inflamatório, analgésico e antipirético oral
  • Pomada analgésica e anti-inflamatória
  • Pomada para hematomas tipo “nódoas negras”
  • Antitússico (tosse seca) em comprimidos ou xarope
  • Expetorante ou fluidificante (tosse húmida) em comprimidos ou xarope
  • Creme cicatrizante
  • Antialérgico em creme
  • Antidiarreico
  • Antiácido
  • Laxante
  • Repelente de insectos no verão

No entanto, existem coisas que nunca deverão estar nesse armário:

  • Medicamentos e produtos fora de validade, sem a embalagem original ou sem o folheto informativo;
  • Materiais em mau estado de conservação;
  • Antibióticos em preparações líquidas orais;
  • Produtos que apresentem alterações na cor, textura ou cheiro;
  • Restos de medicação de tratamentos anteriores.

Outras dicas são:

Mesmo que estejam dentro do prazo de validade, é preciso ter atenção, pois isso não significa que estejam necessariamente em boas condições!
Existem regras simples que pode aplicar. Então vejamos:

  • Nos medicamentos que entraram em contato com o ar, existe uma probabilidade elevada de terem perdido parcialmente ou completamente a sua acção terapêutica;
  • As suspensões orais, ou seja, formulações de um pó suspenso num líquido, necessitam de agitação para misturar as duas fases e são geralmente turvas, perdendo rapidamente eficácia terapêutica, pelo que depois de abertas e terminado o tratamento, devem ser entregues na Farmácia;
  • Só deve tomar comprimidos que ainda estejam dentro do blister e sem manchas aparentes na sua superfície;
  • A validade impressa na embalagem dos medicamentos, apenas é válida enquanto o medicamento se encontra selado sem utilização;

Depois de aberto o medicamento apenas se pode confiar nessa validade, no caso da parte não utilizada do medicamento se manter protegida do ar, temperatura e humidade. Tal só acontece nos seguintes casos:
Comprimidos dentro de blisters, não em frasco;
Saquetas individuais;
Injetáveis individuais;
Colírios (gotas dos olhos) em unidoses.

Na próxima semana continuaremos as dicas, indicando como manter o armário e o seu conteúdo.

Até lá!

Com a colaboração da Dra. Fernanda Tavares

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

4 Comments

  1. Foram ótimas dicas,não tenho costume de ter remédio de primeiro socorros,mas sei que é essencial e quase obrigatório,vou procurar a ter em Casa!!!

    Ver mais
  2. Muito bacana, temos sempre que ter os medicamentos de socorros dentro de casa.

    Ver mais
  3. Muio importante falar da saúde. Esse é um tema que chama a minha atenção. Dica de remédio caseiro: Suco da beri gela para baixar o colesterol, ótimo.

    Ver mais
  4. Muito bom!!!

    Ver mais