Ansiedade

Elaine Rocha

  • 1
  • Dez
  • 2015

Ansiedade

  • 1
  • Dez
  • 2015

Queria falar sobre algo que se está a passar comigo recentemente e algo que também tem sido, e está sendo, trabalhado em mim: ANSIEDADE.

Às vezes nós nem vemos que estamos ansiosas, porque temos razões, argumentos, desculpas, etc. Temos “justificações” para ficarmos ansiosas… E a mulher sempre tem razões. E é isso que faz a mulher muito perigosa, mas isso é para outro dia.

Voltando ao assunto “Ansiedade”:

A ansiedade começa por coisas pequenas, coisas banais, coisas do dia-a-dia: A hora, o que vais fazer, comparando-te com outras, preocupando-te com o que os outros pensam, etc.

De repente tu carregas essa ansiedade para o trabalho, para a família… e depois começas a preocupar-te com a vida sentimental, a tua vida financeira… E depois entra na tua vida espiritual, com o teu relacionamento com Deus. Mas quando chega a esse ponto, a tua ansiedade já está mesmo lá em cima!

“Mas eu não vejo isso como algo tão mau, até às vezes me ajuda a reagir…”, tu pensas. Eu também pensei assim. “Eu tenho que fazer mais, eu tenho que me empenhar mais! Tenho que mostrar mais!” Eu falava com Deus sobre as minhas ansiedades e nada mudava. E eu vou dizer porquê. Agora eu estou a começar a entender. Comigo, pelo menos, nada acontece rápido… Eu sempre tenho que estar na busca: De ouvir os demais, de falar com Deus, de me vigiar. E isso não acontece de um dia para o outro. Demora dias, semanas, meses.

Quando nós estamos ansiosas, não conseguimos ver o nosso estado. A ansiedade faz-nos cegas em relação a coisas que nós temos que vigiar. O “porquê” da ansiedade também é muito importante. Vou dar um exemplo: Eu não fui levantada colaboradora com os demais. Eu não fui aprovada, mesmo tendo uma nota perfeita no exame. E vi todo o “mundo” (parecia assim) a passar, a ter a resposta, e eu não sabia nada. Mandei e-mails, perguntei ao Pastor, clamei a Deus…

Quando eu orava a Deus, eu falava: “Deus, eu quero uma resposta. Se é sim ou não, para mim é igual. Eu quero uma resposta.” E a resposta foi: Não.

E eu fiquei feliz. Já não trazia aquela ansiedade de não saber…

MAS eu comecei a ficar ansiosa em relação ao motivo pelo qual eu não fui aprovada. E começaram a querer entrar pensamentos negativos, dúvida, etc. Veja que a ansiedade trás isso; não temos paz. Não confiamos na resposta de Deus. Queremos provar que a resposta é errada. Entra o orgulho de não querer aceitar essa situação e ver os outros avançarem e tu ficares para trás. Isso também tem tudo a ver com a tua intenção!

Perguntei quando era o próximo seminário…

Em Janeiro.

Então disse: “Está bem. Eu vou esperar, mas eu não vou ficar ansiosa. Agora eu tenho esse tempo para melhorar, de buscar o porquê, sem ansiedade.”

E veio o Jejum de Daniel, e Deus começou a falar. A revelar para mim. Mostrou a minha infantilidade. Que eu não era madura na minha fé. Que eu não estava sendo transparente, e não estava aceitando as correções. Que eu estava ansiosa para avançar, mas querendo fazer como eu queria, querendo “ser certinha” mas não SER PARA DEUS. Quem quer SER para Deus, não é perfeita. Ela erra e reconhece o quanto precisa da ajuda de Deus. Ela não tem medo de errar porque sabe que Deus lhe vai mostrar os erros. E eu queria mostrar algo que não era a “Vera”. No meu Momento Godllywood, a Sra. Nete falou sobre que muitas querem ser usadas por Deus, mas não cuidadas. Quando Deus cuida, dói. Dói porque mexe com o teu interior. E eu queria ser usada, mas não queria passar por aquele processo.

No Jejum, eu entreguei a minha dor de “rejeição”, do meu orgulho, os meus pensamentos negativos, e comecei a vigiar-me, a querer ver essa “Vera” que Deus estava revelando para mim. Eu ficava quietinha, querendo ouvir a todos os que falavam comigo. Eu comecei a entender as coisas que eu tinha tanta dificuldade de entender. Eu tirei aquela ansiedade de entrar na Obra, e fiquei focada no meu interior.

Quando eu menos, MESSSMOOOOO, esperava, eu fui levantada a colaboradora. Eu nem tinha palavras para falar, nem reação. Até tive um pouco de receio porque eu estava vendo tantas coisas erradas, e é justamente agora que eu penso que não mereço, que Deus diz: “É agora!”

É muito lindo o que Deus faz.

Mas os pontos que eu queria falar para vocês:
A ansiedade faz-nos imaturas, covardes, inflexíveis, cegas, estagnadas, anula a nossa fé, faz-nos orgulhosas, faz-nos ter dúvidas, não nos permite confiar nas respostas, na Palavra de Deus. E tudo isso vai contra a fé e o caráter de Deus. Olha só os problemas que nos trás!

Eu não sou perfeita, e nem falo que eu venci a ansiedade. É uma guerra para mim não me entregar para esse sentimento. Mas é algo que eu estou disposta a lutar e deixar o Espírito Santo me guiar.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

246 Comments

  1. Era tudo o que eu precisava! Muito obrigada!

    Ver mais
  2. dona Viviane , eu era muito ansiosa antes , coloquei em pratica os ensinamentos , hoje .eu não tenho mais ansiedade .

    Ver mais
1 39 40 41