Ansiedade, as causas e as consequências

Bárbara Filipe

  • 2
  • Set
  • 2015

Ansiedade, as causas e as consequências

  • 2
  • Set
  • 2015

“ A esperança que se adia faz adoecer o coração, mas o desejo cumprido é árvore de vida.”    (Pv. 13:12)

Como podemos definir a ansiedade?

Existem muitos conceitos que poderiam responder a esta questão, no entanto uma abordagem simples numa perspetiva cognitiva mostra-nos que a ansiedade tem origem nos pensamentos e na forma como os processamos e permitimos que se desenvolvam, gerando medo e preocupação.

No entanto é um processo físico que mantido em equilíbrio é saudável, uma vez que nos permite ficar alerta e preparados para reagir a situações contraditórias ou de perigo. O problema aparece quando os níveis de ansiedade entram em desequilíbrio e revelam-se sintomas de risco.

Alguns dos sintomas mais frequentes desencadeados pela ansiedade são:

  • Fobias diversas;
  • Medo de falar em público;
  • Ataques de pânico;
  • Preocupação com tudo o que a rodeia;
  • Medo constante de não ser capaz de desempenhar as suas tarefas diárias;
  • Dificuldade em dormir;
  • Tonturas;
  • Tensão muscular;
  • Dores no peito e palpitações.

Todos estes sintomas, e muitos mais, associados à ansiedade descontrolada, retiram qualidade de vida e limitam o dia-a-dia das pessoas que não conseguem controlar os efeitos desta reação fisiológica, comportamental, emocional e psicológica do nosso organismo.

Então se a ansiedade começa por pensamentos, pelo que vemos e sentimos, tornando um estado de alerta saudável e prudente num desequilíbrio com efeitos devastadores, significa que somos NÓS, muito mais do que qualquer medicamento que temos de assumir o controle da situação!
“Pois…Falar é fácil!” Poderão pensar, mas vou mostrar-vos algumas DECISÕES e ATITUDES diárias que colaboram de uma forma eficaz no combate à ansiedade:

  1. Tome as “rédeas” dos seus pensamentos. Tudo aquilo que lhe causar medo, angústia e excessiva preocupação, ELIMINE;
  2.  Ocupe a sua mente com os seus objetivos, com as metas onde pretende chegar e como fazer para alcançá-las;
  3. Identifique a origem dos seus maiores medos e ANULE o que os alimenta
  4. Faça exercício, corra, caminhe, nade e divirta-se em desportos coletivos;
  5. Analise as suas limitações físicas e se necessário, peça ajuda para desempenhar algumas tarefas;
  6. Durma bem, pode aproveitar as dicas do post anterior para melhorar a sua qualidade de sono;
  7. Alimente-se melhor, aumente o consumo de alimentos com ômega 3, vitamina C e magnésio evitando os alimentos muito calóricos e em especial os fritos.

Desta forma conseguirá equilibrar os níveis de preocupação, stress e ansiedade que possa estar a enfrentar e desfrutar de uma vida mais tranquila e produtiva.

Reflita, avalie-se e tome a melhor decisão para o seu bem-estar!

Até breve.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

11 Comments

  1. Realmente a ansiedade faz muito mal a saúde . Digo por experiência própria , devido a um problema de saúde acabei desenvolvendo esse sentimento que gerou também o medo . Medo até de sair de dentro de casa com receio de passar mal.
    Mas hoje estou usando a fé e cuidando de mim , não é fácil , pra quem está de fora acha apenas que é coisa dá cabeça dá gente, mas quem está vivendo a situação , vai muito além disso.
    Mas vamos vencer essa luta vai passar e eu vou vencer.

    Ver mais
  2. Só agora vim saber o quanto a ansiedade faz mal para a saúde de uma pessoa, a parte de hoje vou começar a colocar em prática os conhecimentos adicionar aqui no post.

    Ver mais
  3. Ansiedade e um assunto que provalvemente todo mundo ja passou ou vivenciou, sabemos que a ansiedade causa muitos problemas,quando deixamos a ansiedade tomar as nossas decisoes acbamos por esfriar na fé…

    Ver mais
1 2