A vida de Jacó – 12º dia

Viviane Freitas

  • 6
  • Jul
  • 2013

A vida de Jacó – 12º dia

  • 6
  • Jul
  • 2013

 

Olá a todos. Estamos no 12º Dia, acompanhando a vida de Jacó.

Temos consciência do que precisamos sacrificar, mas devemos atentar para cada atitude: Quando temos atitudes de fé, ao sacrificar realmente para Deus, não mostramos às pessoas ao redor que há agonia, mas, ao invés, força e definição.

Se fazemos um sacrifício para Deus, cansadas e a murmurar, mostrando que a nossa vida está difícil, na verdade, mostramos fraqueza aos demais. Ao exteriorizar as nossas emoções, envolvendo as dificuldades diárias, no fundo, estamos a viver da fé emotiva, pois a fé racional é definida, e esta definição não envolve problemas menores, que nos tiram o sossego. Isso não nos vence!

Deus Todo-Poderoso te abençoe, e te faça fecundo, e te multiplique para que venhas a ser uma multidão de povos; e te dê a bênção de Abraão, a ti e à tua descendência contigo, para que possuas a terra de tuas peregrinações, concedida por Deus a Abraão.” (Gn.28:3,4)

12ºDia – A bênção de “Abraão”

Isaque fala com definição sobre o que Deus faria na vida de Jacó. E assim é na nossa vida!

O que Deus deseja para nós, não é algo insignificante; não é apenas que sejamos um exemplo na família, mas que, com a nossa vida, façamos uma revolução no mundo inteiro. Que através do nosso testemunho, uma multidão de pessoas sejam “tocadas”, e obtenham uma transformação de vida, em resultado da bênção de Abraão existente em nós.

E os nossos descendentes, assim como aqueles que vivem connosco ou que forem ensinados por nós, igualmente a possuirão!

“…para que possuas a terra de tuas peregrinações, concedida por Deus a Abraão.”

Esta bênção é que nos fará ter domínio sobre a “terra”, caraterizada pelas dificuldades e adversidades que enfrentamos. Tiramos proveito da mesma, e prevaleceremos sobre todo e qualquer sentimento de frustração.

Pode dizer: “Falar é simples, mas quando vivemos as situações difíceis, fazemos algo que não dá certo, e nos frustramos no meio do caminho?”

E eu respondo: Se estou a sacrificar, não fico frustrada, não murmuro, mas tenho atitudes de perseverança. Mesmo que erre, continuo e aprendo! É esta definição na fé, que faz a diferença.

Onde quer que eu passe, tenho que possuir!

“Ah, então se eu estiver perante um desafio, tenho que o ultrapassar? Se estiver numa Igreja, tenho que dominar? No meio da família, entre amigos e pessoas que não professam a mesma fé, tenho que me destacar?” Sim! Tenho que dominar sentimentos, conflitos e transmitir credibilidade no meu comportamento, na minha vida e no meu dia-a-dia.

Eu devo fazer a minha parte e conquistar a bênção de “Abraão”. E esta flui do nosso interior; não precisamos de terceiros para desenvolver, pois a bênção de Deus faz-nos multiplicar a “descendência”.

É possuir a bênção e transmiti-la, naturalmente, a outros.

Até amanhã, em continuação à vida de Jacó.

 

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

39 Comments

  1. Sem sacrifício não a resposta de Deus em nossa vida por isso temos que arregaçar as mangas e partir para a luta.

    Ver mais
  2. Olá pois essa força tem que estar dentro de mim,pois me chamou atenção fazer uma ´´revolução´´.
    Pois se eu me meter só olhar para mim e não agir não vai acontecer nada fora ,porém quando eu revoluciono dentro não tem como fora não chamar atenção de Deus e das demais pesooas.
    Não me posso limitar ao que vejo nem ao que sinto mas sim agir com a certeza.

    Ver mais
  3. Boa noite,
    quando eu vivo o verdadeiro sacrificio logo ele gera força, determinação, segurança… e assim sendo é impossivel alimentar sentimentos dentro de mim.

    E esses sentimentos e conflitos interiores tenho que deixar no Altar eles também fazem parte do meu Sacrifício. Porque os mesmos são inimigos da minha fé, e me impedem de ser A Bênção!

    Deus abençoe!

    Ver mais
1 5 6 7