A tiróide

Bárbara Filipe

  • 9
  • Set
  • 2015

A tiróide

  • 9
  • Set
  • 2015

A tiróide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, tem forma de borboleta e possui dois lobos (direito e esquerdo), unidos por um aparte central, chamada istmo.

As hormonas produzidas pela tiróide, ou seja, a tirocina (T4) e a triiodotironina ( T3) são fundamentais para a regulação da temperatura corporal, da tensão arterial, da frequência cardíaca, da força muscular, do funcionamento do intestino, da memória, do estado de humor e do colesterol entre outras funções.

glandula-tiroide

A sua falta provoca o aparecimento de sintomas relacionados com a falência dos mesmos, pois o desequilíbrio na produção de T3 e T4 pode manifestar-se como Hipotiroidismo (diminuição) ou Hipertiroidismo (aumento).

Quais as principais doenças resultantes e os seus sintomas?

1- Hipotiroidismo: resulta da diminuição ou total ausência de produção de hormonais tiroideias e pode ser causado por:

– Falta de estímulo da TSH pela hipófise, como acontece em algumas doenças cerebrais;
– Falta de iodo na alimentação;
– Doenças auto-imunes, como acontecem na chamada Tiróide de Hashimoto, provocada por anticorpos contra as células tiróides;
– Após cirurgia com excisão parcial ou completa.

Os sintomas vão desde: cansaço, sonolência, letargia, falta de concentração, pele seca e rugosa, queda de cabelo, aumento de peso, irregularidades menstruais, prisão de ventre e nas situações mais graves insuficiência cardíaca .

2- Hipertiroidismo: é o oposto do hipotiroidismo. No hipertiroidismo verifica-se um aumento da produção de hormonais tiroideas que é provocado na maioria dos casos por:

– Anticorpos (80% dos casos) isto é, presença de anticorpos que estimulam o aumento de produção de hormonais levando ao aparecimento de bócio toxico difuso ou doenças graves.

Os sintomas mais frequentes são: ansiedade, insónia, nervosismo, irratibilidade, perda de peso, palpitações, diarreia, intolerância ao calor, fraqueza muscular, oftalmopatia.

3- Nódulos: São devidos a um conjunto de células que se organizam no interior da glândula, constituindo nódulos de natureza sólida ou liquida (quistos).
A maioria dos nódulos são astigmáticos e não estão relacionados com cancro. São geralmente detetados por acaso e podem não alterar a produção de T3 e T4. No entanto, por vezes é necessária uma biópsia para determinar o seu prognóstico.

Como obter um diagnóstico e que exames fazer?

– avaliação médica através de apalpação do pescoço para delinear o tamanho, configuração e mobilidade da glândula tiróide e constatar ou não a presença de nódulos;
– verificação periódica através de estudo funcional para determinação dos níveis sanguíneos das hormonais T4 TSH e pesquisa de anticorpos anti-tiroideus;
– ecografia tiróide que permite ao médico não só saber o tamanho e contornos da glândula como também a existência de nódulos e a sua natureza (sólida ou quistíca , como também avaliar a resposta terapeuta com estudos sequências;
– biópsia ou citologia aspirativa (análise das células para determinar se é benigno ou maligno).

No que se refere ao tratamento, as possibilidades são:

– ou apenas vigilância e acompanhamento regular, sem necessidade de qualquer medicação, se os níveis hormonais estiverem normais;

– o uso de medicamentos para repor as hormonais no caso do hipotiroidismo ou para diminuir o excesso, no caso do hipertiroidismo;

– tratamento cirúrgico com excisão parcial ou completa da glândula tiróide.

Contudo o importante é estar atenta e consultar o seu médico caso observe os sintomas acima mencionados.

Excerto de texto da Dra. Albertina Vieira

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

2 Comments

  1. Boa Noite D. Vivi,realmente este assunto e muito raro para muitas pessoas, porque ouvese falar da Tiroide mais muitas pessoas nao sabem o que isso e:
    aos 12 anos de idade fui quando eu descubri que tinha tiroide, segui os concelhos do medico, feis o tratamento, e fui para a lista de espera para ser operada, ate la eu seguia com comprimidos, mais aos 16 anos eu mudei de Pai, ai ja nao tinha mais medicasao, mis na verdade eu nao vi diferenca por algum tempo eu pensei que ja estava currada…aos 18 anos eu cummesei a alterar o systema nervosa muito forte e muitos transpirasaois, era muito horivel, cumia muito e nao respirava bem, tinha muita dificuldade em respirar, quando eu me lembrei de ir ao medico para Saber porque isso estava a conteser cumigo, eu ai ja estava agravar o assunto, entao mais fui para o tratamento, e outra veis para a lista para ser Operada em 6 messes, o qual nao chegou aconteser porque eu me converti Pra Jesus e eu fui curada sem Operasao…mais tenho a dizer que para quem nao sabe o que e isso, e muito triste, porque isso pertuba com todo o nosso systema, nos poin mesmo forra do normal, e algo muito incontrolavel, erritante, muita dor de cabeca. so mesmo que passa ou ja passou como eu para poder intender o que e a tiroide.
    O assunto de houje fui muito interesante

    Ver mais
  2. Linete/ Manchester UK
    Muito interessante essa materia, muitas mulheres nao dao importancia ou tem pouco conhecimento sobre esta doenca mas sofri com tiroide depois de ter tido o meu primeiro filho e so agora pude realmente perceber que sofria de Hipertiroidismo pois na altura nao percebi nada da doenca quando me foi deagnosticada pela medica.

    Obrigada por partilharem.

    Ver mais