A importância da Vitamina D
katia

Kátia Cardoso

  • 4
  • Jun
  • 2014

A importância da Vitamina D

  • 4
  • Jun
  • 2014

Muitas coisas são inevitáveis e, hoje em dia, vivenciamos algumas alterações em nosso corpo, devido às inúmeras mudanças de hábitos que somos obrigados a fazer.


Pela modernização de nossas vidas e carreiras, a vida resume-se muitas vezes de casa para trabalho, do trabalho para a escola, faculdade, igreja ou casa.

Muitos são os que nem têm tempo para uma caminhada ao ar livre, e a opção é mesmo a máquina de exercício na sala. Porém, não há muito tempo atrás, as pessoas trabalhavam mais ao ar livre, as crianças brincavam na rua (raridade em nossos dias, não é verdade?) e com isso tinham uma exposição à maior fonte natural de Vitamina D: o sol.

A vitamina D é “super” importante, e essencial, para o equilíbrio de diferentes órgãos e funções do organismo. Responsável por regular a absorção de cálcio e fósforo, ela mantêm o cérebro a funcionar perfeitamente, além de fortificar ossos, dentes e músculos – inclusive o coração. É importante na prevenção da osteoporose e também pode estar relacionada à expetativa de vida.

Sendo a luz solar a principal fonte de vitamina D, a nossa vida “portas adentro” priva-nos de adquiri-la naturalmente. É claro que a exposição ao sol não pode ser exagerada, pelos danos que os raios solares podem trazer à pele, por isso, dez minutinhos por dia seriam suficientes. Uma simples caminhada ao ar livre já nos faria muito bem, tendo em conta que é necessário ter alguma exposição de pele ao sol (braços ou pernas) para melhor absorção.

Pesquisas relatam que a deficiência de Vitamina D no Brasil ocorre em:

? 60% dos adolescentes;

? Entre 40% e 58% em adultos jovens;

? Entre 42% e 83% dos idosos.

Hoje em dia, existem suplementos alimentares para compensar a falta de vitamina D no organismo. Mas nada de se automedicar! Antes de tentar os suplementos, procure o seu médico. Em um simples exame de sangue, poderá saber se o seu nível de vitamina D está baixo ou ideal. Peça esta análise no seu próximo check-up. As taxas que variam de 30 a 74 ng/mL são consideradas normais.

Enquanto isso, aposte em uma dieta rica em peixes gordurosos de água fria e profunda (como atum e salmão), nos fungos comestíveis (como os champignons, cogumelos), na manteiga, na gema do ovo e no fígado. E claro, um pouquinho de sol se puder.

Agora sabe o motivo de termos uma sensação tão boa, quando tomamos aquele “solzinho” gostoso… Sol em moderação traz saúde!

Até à próxima.

Leia mais dicas de saúde no link

*As informações oferecidas neste blog não são individualizadas, portanto, não substituem o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

14 Comments

  1. Foi fazendo esse tipo de dieta que fiquei com o corpo bonito, e em forma.. e academia, claro.

    Ver mais
  2. com certeza devemos cuidar do nosso corpo,afinal precisamos desse corpo para servir a Deus.

    Ver mais
1 2 3