98º Dia | Ser O Testemunho

Viviane Freitas

  • 17
  • Mai
  • 2017

98º Dia | Ser O Testemunho

  • 17
  • Mai
  • 2017

17 de Maio | Quarta | João 18.38-40

Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum.Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus?
Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. E Barrabás era um salteador.

O que deve fazer antes de ouvir o audio? Clique aqui.

Olá a todos os internautas, estamos meditando diariamente, de segunda a sexta-feira, nos pensamentos de Deus, e esses pensamentos induzem-me a conferir os meus atos, a conferir a minha fé!

Vamos ao livro de João 18:38-40

“Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum.
Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus?
Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. E Barrabás era um salteador.”

Veja, minha amiga internauta, que Pilatos perguntou: “…Que é a verdade?”, as palavras de Jesus, na realidade, pesaram para Pilatos, a ponto dele questionar em voz alta, indagar-se… porém, como está escrito: “E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum.” Pilatos estava ansioso em relação ao que teria de resolver, fazer, e não deu atenção para aquilo que lhe chamou a atenção, mas simplesmente agiu.

“E disse-lhes: Não acho nele crime algum.”

As palavras de Jesus tinham poder, têm poder, mas ele não atentou para as Suas palavras, não ficou pensando, mas agiu de imediato.

Veja só, minha amiga internauta, como os detalhes fazem uma grande diferença: Pilatos simboliza aqui os cristãos, ou os seguidores de cristo, aos quais a Palavra de Deus chama a atenção, mas focam-se, ao invés, naquilo que têm de fazer. A Palavra de Deus chama a sua atenção, mas não alimentam os pensamentos de Deus, não questionam, não se interessam por perguntar e procurar.

A pergunta que ele tinha: “Que é a verdade?”, ele tinha que a fazer a Jesus, e ficar esperando a Sua resposta, mas ele não o fez.

“…tornou a ir ter com os judeus…”

E com muita gente tem acontecido isso: Vão à igreja, ouvem a Palavra, esta chama a sua atenção, mas o que fazem? Vão “ter com os judeus”, com aqueles de quem querem uma opinião; vão ter com aqueles com quem querem falar; não querem pensar na fé, mas querem rapidamente falar com os outros e dizerem o que estão pensando… Nem tiveram tempo de nutrir ou de raciocinar bem.

E isto, minha amiga, não a faz agir pela fé inteligente, mas pela emoção; a emoção faz você olhar assim: “Você tem que resolver logo a questão!”, e nisso, não atenta para o que é justo.

Quando você sabe o que é certo, você define aquilo e acabou, você não tira dúvidas, não vai falar com uma pessoa para desabafar aquilo que pensa, como aconteceu aqui com Pilatos.

E continua, dizendo assim: “Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus?”

Os judeus estavam ali, os religiosos levaram o Senhor Jesus para incriminá-lo, e agora, depois de Pilatos ter visto que Ele não tinha crime, ainda pergunta?! Quem pergunta, não está definido na sua fé, veja a emoção por aí… Se ele perguntasse a Jesus, era diferente, pois estava falando algo que chamou a atenção dele, mas Pilatos não fez isso, pois estava perguntando àqueles que O queriam incriminar! Ora, minha amiga internauta, veja que quem pergunta é porque está com dúvidas, e eu refiro-me a este tipo de perguntas, e não a perguntas para procurar resposta daquilo que você está querendo saber, mas ele perguntava com a intenção de ter a aceitação daqueles religiosos, para soltar Jesus.

“Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. E Barrabás era um salteador.”

Que sentido faz para a inteligência soltar um bandido?! Porque salteador é um bandido, um ladrão… Mas para a emoção faz todo o sentido! Aquelas pessoas, para clamarem alto, é porque defenderam a sua decisão: “Este não, mas Barrabás”, e a emoção defende o seu orgulho… não pensa.

Eles estavam amarrando ou incriminando Jesus, que não fez nada, não teve crime nenhum, que só curava, libertava, perdoava, servia, para trocar por um ladrão, bandido, que rouba, que tira a paz, que trás tormento, enfim…

Veja que não tinha nexo a decisão daquela multidão, não tinha uma razão, mas Deus permitiu e planejou que isso acontecesse, porque Jesus não faz parte deste mundo.

Aquelas pessoas, que agora gritavam, com certeza um dia aplaudiram ou seguiram Jesus, pediram pão, pediram cura… Talvez, eu acredito, alguns dentre eles, não todos, que estavam ali gritando para soltar Barrabás, haviam feito parte das grandes multidões que O seguiam.

E a minha pergunta para você, minha amiga internauta, é a seguinte: Onde estão aqueles que louvaram a Deus e falaram: Rei dos Judeus? Onde está aquele povo? Não glorificaram a Deus?!

Pois é, minha amiga internauta, veja que há muitos crentes, muitas pessoas que estão na igreja, louvando a Deus, mas diante de um “poder”, deixam-se ser levadas pelas circunstâncias. Por outras palavras, elas não receberam a fé; aceitaram por um momento, mas não guardaram essa fé.

Eu não posso dizer, porque eu não estava lá… não sei quem foram os que gritaram, mas certamente essas pessoas participaram dos milagres, viram Jesus perdoar, e agora estavam ali, imbuídos pelo espírito do mundo.

Jesus não mudou, Deus Pai não mudou; Deus Pai não lançou um fogo e queimou aquelas pessoas, não! Deus Pai assistiu a tudo isso, Jesus vivenciou tudo isso, para eu, para você, escolhermos a fé, recebermos essa fé, essa verdade, mas eu tenho que optar e tenho que perseverar nessa fé. E para eu perseverar na fé, eu tenho que valoriza-la; para eu valorizar essa fé, eu tenho que entendê-la, não para algo momentâneo, não para o poder de cura e resposta aos pedidos, mas receber essa fé para a minha alma, que precisa!

Minha amiga internauta, pense sobre isso: Você grita que quer servir a Deus e defende essa fé? Ou você defende o mundo, as coisas deste mundo, as quais depois vão ficar todas por aí?

Mas a sua alma você não vai deixar por aí, pois esta vai consigo, e o destino, você decide aqui nesta vida, não é depois…

Quando você morrer, acabou a sua oportunidade de decidir… Então, decida agora! Para tomar juízo, para se responsabilizar pela fé que você tem em Deus e pagar o alto preço dessa fé.

Já não tenho mais nada para falar! Se você tem, se quer acrescentar, escreva aqui no blog, participe com o seu comentário, pois será um grande prazer.

Amanhã estaremos aqui, de volta.

Um grande abraço.

Série: Ser o Testemunho

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

10 Comments

  1. Olá d Vivi.
    Gostaria de saber ou sugerir se é possível baixar os áudios da Sra?

    Ouço esses áudios e Deus me ensina a como meditar na Sua palavra. Aprendi muito com essas meditações pois consigo me enxergar.

    Ver mais
  2. Olá dona Viviane, devemos a cada dia perseverar na palavra ouvida e não somente absorve-la superficialmente, olhando como “uma boa palavra ” , mas acima de tudo traze-la para as situações da nossa vida. Muito obrigada por permitir que o Espírito Santo a use para falar conosco.?

    Ver mais
  3. ola, eu me encaixei nessas palavras, nao tenho dado a devida atençao a palavra quando me chama atençao, penso um pouquinho e ja esta bom,
    Eu estava prestaçao atençao em mim mesma, e tinha visto que isso nao era bom, mas essa palavra veio certinha e me acordou de vez. obrigada

    Ver mais
  4. Boa tarde querida Vivi,

    Verdade a Palavra de Deus chama a atenção mas nao e o facto de ouvirmos que vai nos fazer agir a fé inteligente.

    Deus abençoe.

    Ver mais
1 2