5º Dia | Ser O Testemunho

Viviane Freitas

  • 6
  • Jan
  • 2017

5º Dia | Ser O Testemunho

  • 6
  • Jan
  • 2017

6 de Janeiro | Sexta | João 11.11-16

Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono.
Disseram, pois, os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo.
Mas Jesus dizia isto da sua morte; eles, porém, cuidavam que falava do repouso do sono.
Então Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto;
E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis; mas vamos ter com ele.
Disse, pois, Tomé, chamado Dídimo, aos condiscípulos: Vamos nós também, para morrermos com ele.

O que deve fazer antes de ouvir o audio? Clique aqui.

Olá a todos os internautas. É com prazer que nós estamos aqui no Blog para meditar na Palavra de Deus.
Acompanhe comigo no Livro de João, capítulo 11, versículo 11:

“Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono. Disseram, pois, os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Mas Jesus dizia isto da sua morte; eles, porém, cuidavam que falava do repouso do sono. Então Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto;
E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis; mas vamos ter com ele. Disse, pois, Tomé, chamado Dídimo, aos condiscípulos: Vamos nós também, para morrermos com ele.” (Jo.11:11-16)

Em primeiro lugar, Lázaro era amigo dos discípulos, mas nem os mesmos, nem a irmã Maria, que era espiritual, nem Marta fizeram “nada”? Por exemplo, é como eu e você, que estamos ouvindo a Palavra de Deus, através do Blog, da rádio, pela reunião, etc. Estamos a ouvir, mas isto não significa que estamos a viver pela fé. Eu posso ser uma ouvinte e ser próxima do Senhor Jesus, porque estou a ouvir a Sua Palavra, mas ainda assim não a guardar e praticar. Assim me faço distante.

É exatamente o que acontece com muitas pessoas na Igreja: Estão como Lázaro, que ouvem, mas não tomam para si aquela Palavra e não se enxergam. Pensam sempre que é para os outros, mas nunca para si mesmas.

E como os problemas chegam para todo o mundo, chegaram para Lázaro também, e ele acabou por morrer. Mas Jesus disse o seguinte: “Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono.” Ele tinha um objetivo!

O Senhor Jesus não nos pode impor nada; não pode decidir nada por mim ou por você, sequer o diabo pode decidir por nós, assim como ninguém pode fazê-lo, seja irmão, irmã, pai, mãe ou esposo… Todos nós estamos tendo a oportunidade de ouvir a Palavra, mas às vezes tem que acontecer um problema, uma situação, para que então possamos ser sensíveis para ouvir.

Jesus foi chamado para fazer a Obra do Pai, que era arrancar as pessoas do inferno. Lázaro não estava salvo naquele momento. Senão, porque é que o Senhor Jesus não se referiu da mesma forma em relação a João Batista, quando lhe cortaram a cabeça? Porque João Batista havia morrido apenas no seu corpo, mas o seu espírito estava vivo! Continuaria a viver com Deus.

Mas Lázaro, não! Ele estava próximo do Senhor Jesus, era amigo, ouvia diretamente d’Ele e não de outra pessoa, como sucede connosco hoje, que ouvimos através de um homem de Deus… Ele ouvia literalmente dos lábios do Senhor Jesus. Mas mesmo assim, recebendo a Palavra de Vida, Lázaro continuava literalmente morto.
Quando O Senhor Jesus mencionou que Lázaro estava dormindo, os discípulos não entenderam. Eles viviam uma fé natural, e por isso nunca entendiam o lado espiritual da situação… Como quando você vive uma fé natural e alguém lhe fala acerca de algo espiritual, você não entende.

Quantas mensagens, quantas reuniões, Palavras, me trouxeram vida, que você escutou junto comigo, mas você ficou na mesma situação. A diferença é como cada um recebe a Palavra!

Jesus voltaria e restituiria Lázaro. Quer dizer: “Eu não vou perder essa alma; vou fazer o que o Pai me pediu, vou dar a vida e, através desse problema, Lázaro vai ter a oportunidade de ver o estado da sua fé.”

“Disseram, pois, os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo.”

Como Lhe dizendo: “O Senhor não precisa ir para lá… se ele está dormindo, não precisa arriscar a sua vida por uma pessoa que está dormindo!”
Literalmente, as pessoas que estão numa fé natural, enxergam as coisas só “ao pé da letra”, mas não o lado espiritual da situação.

A pessoa que morre para Deus não é aquela que morre fisicamente, como foi o caso de Lázaro, mas a pessoa que está espiritualmente “morta”. Pode estar na Igreja, mas “morta” para Deus. Tanto é, que o Senhor Jesus quando vier resgatar a Sua Igreja, vai salvar apenas aqueles que foram selados com o Espírito Santo. Aqueles que não foram selados vão ficar. Porquê? Porque estão mortos na sua fé! Ouvem a Palavra de Deus, que traz vida, que ressuscita, mas não se agarram à mesma; não se entregam. E a pessoa só é batizada com o Espírito Santo, quando se entrega por inteiro.
E mesmo depois de ser batizada, deve continuar se entregando, sacrificando e desenvolvendo a sua salvação, senão volta a ser uma pessoa “morta”.

Os discípulos cuidavam sempre da parte “física”, do que viam. Porque aquilo que era espiritual, não conseguiam enxergar. Não conseguiam ver, quando estavam com Lázaro, que ele não vivia essa fé.

“Então Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto.”

Quando refere aqui a palavra “claramente” é porque o Senhor teve que falar num “idioma” que eles entendessem.
E Ele prosseguiu: “E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis…”
Jesus sabia que os discípulos andavam na “escuridão” e não viviam essa fé. Eles estavam totalmente apoiados no Senhor Jesus. O que Ele falasse e determinasse era o que ouviam e aceitavam, ou não. Mas isto não significa que eles guardavam em si essas Palavras e as exercitavam. Eles ficavam perplexos, certamente! Porém, não viviam a fé, e por isso não entendiam porque motivo Jesus demorou dois dias para ir até Lázaro.

Porque o Senhor Jesus sabia que os discípulos permaneceriam incrédulos e se deixariam levar pelas circunstâncias do ambiente, ou seja, do problema.
E às vezes, minha amiga internauta, você está num lugar totalmente distante de um problema familiar, ou de um problema sem que tenha conhecimento, justamente para que você não seja influenciada e se entregue às emoções e ao desiquilíbrio, em virtude da fé natural em que vive. Ele permite que esteja distante, para que você possa refletir e exercitar a fé inteligente. Pensar por si mesma! E quando pensa, pode corrigir as suas reações e não agir pelos sentimentos. Mas quando está diante do problema, ou situação, corre o risco de se desesperar porque as pessoas à sua volta também estão desesperadas, e assim a situação se agravar mais ainda.

Mas veja as palavras de Tomé: “Vamos nós também, para morrermos com ele.”
Veja quantas pessoas estão na Igreja, mas dizem consigo mesmas: “Ah, é fácil o pastor falar, a obreira e a esposa aconselharem isto e aquilo, mas elas não sabem o que eu estou vivendo…”
Muitas pessoas falam no seu íntimo, revoltadas, porque estão esperando que alguém sinta por elas… O Senhor Jesus não queria dizer que eles iriam morrer junto com Lázaro, mas Tomé interpretou dessa forma. Não acreditava que Jesus iria ressuscitá-lo.

E por vezes você ouve na reunião, lê na Palavra de Deus, mas não acredita que Jesus pode curá-la… Você é incrédula em relação a si mesma: Acha que se pode aplicar na vida de outra pessoa, mas não na sua, porque se vê sem condições, ou porque pensa que tem sempre muita dificuldade de compreender, que não se sabe entregar, que o Espírito Santo nunca a pode batizar, etc.

Parece que o problema em si, é um problema, mas não é! O problema é como eu ajo com a minha fé. Porque estamos neste mundo, sujeitos, todos, a problemas e momentos difíceis, obviamente. Mas como eu lido com estas situações? Será que vou estar na Igreja ouvindo a Palavra de Deus, ouvindo falar de um Deus maravilhoso, ouvindo testemunhos de pessoas que estiveram na mesma situação que eu, e até pior, e foram restauradas, curadas, tiveram a sua família restituida, foram abençoadas na vida sentimental; espiritualmente falando, desenvolveram outra família, receberam o Espírito Santo, reconciliaram-se com os seus familiares, etc. Hoje, são outras pessoas! E será que eu tenho que ficar apenas assistindo a esta Grande Maravilha?! Será que não é para mim também?
Obviamente que é para si também!

Mas às vezes você duvida… Você acha que é para outra, porque a outra pessoa tem mais condições, etc. Não, minha amiga! Cada um tem que exercitar a fé, e quem o fizer vai tomar posse daquilo que Deus prometeu.
Preste bem atenção: Mesmo que você tenha o Espírito Santo, se não exercitar a fé, não vai tomar posse. Se não sacrifica em prol daquilo que você crê, também não vai alcançar a promessa. Vai orar, pedir a Deus e até reclamar, mas não vai obter a resposta.

E porque motivo você não é esse TESTEMUNHO?
Porque, no fundo no fundo, você não acredita! Não toma para si a responsabilidade da sua fé. E por isso vive de migalhas, colhe melhoras, mas não resultados.
SER O TESTEMUNHO é ter esse resultado dentro de mim: Primeiro com a minha conduta, com a minha atitude; vivendo a fé, que se traduz por me corrigir, me vigiar e reparando quem estou sendo.

Veja que mesmo o Senhor Jesus tendo acabado de falar que não foi antes, para que eles pudessem acreditar, lá estava Tomé falando aquela “besteira”…
Porquê? Porque ele ouviu a Palavra mas não aceitou, não respeitou. E por vezes é o que acontece consigo: Ouve a Palavra e não a respeita. Tornou-se incrédula, maliciosa, por conta de não ter resultados. Mas não obteve resultados, justamente porque não exercitou a sua fé!

Como aqueles que estiveram no nosso meio, e hoje estão a falar mal do sacrifício. Um dia pregaram sobre o sacrifício, e agora estão falando mal do mesmo; um dia se submeteram à ordem, à disciplina da Palavra de Deus, através da Igreja Universal, mas agora é do seu jeito; se contradizem…
Mas que fé inconstante é esta?!

Minha amiga, reflita sobre a sua vida, porque se você quer SER O TESTEMUNHO, significa ter essa bênção dentro de si e não se corromper pelos problemas.
Veja que o Senhor Jesus estava prestes a viver uma situação em que seria afrontado por aqueles que queriam apedrejá-Lo, além de estar a viver um problema com uma pessoa que Ele amava – Lázaro – e apesar dos seus discípulos estarem a viver uma fé natural, Ele Se segurava. Porquê? Porque Ele vivia em espírito, em comunhão com Deus!!

E é assim, minha amiga internauta, que fazemos a grande diferença.
SOMOS O TESTEMUNHO quando vivemos, respeitamos a Palavra que ouvimos, quando nos sujeitamos, nos submetemos, somos humildes e assumimos a nossa condição.
Amiga, agora quem vai falar com Deus é você, que se enquadra nesta situação. Deve imediatamente tirar um tempinho para expor o que está dentro de si. Hoje ainda, chegue um pouco antes da reunião, fale com Deus, prepare-se, para que se dedique melhor. Não fique de conversa, e aí, de repente, o pastor sobe ao Altar e você põe a mão no coração e começa a orar como se estivesse em espírito. Não! Esteja em espírito antes do pastor chegar ao Altar.
Um grande abraço para vocês, e não deixe de comentar aqui no Blog.

Série: Ser o Testemunho

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

220 Comments

  1. Quero agradecer a senhora por cada mensagem, pois tem me instigado a exercitar a minha fé. Que Deus possa inspirar a senhora a cada dia mais para nos ajudar, um abraço.

    Ver mais
  2. Muito obrigada D.Vivi ,esse áudio foi diretamente aonde eu não estava enxergando em mim.

    Ver mais
1 35 36 37