16º – Entregar o quê?

Viviane Freitas

  • 20
  • Jun
  • 2016

16º – Entregar o quê?

  • 20
  • Jun
  • 2016

16º dia – 20 de Junho | Segunda | Mateus 3:3-4

Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse:Voz do que clama no deserto:Preparai o caminho do Senhor,Endireitai as suas veredas.E este João tinha as suas vestes de pelos de camelo, e um cinto de couro em torno de seus lombos; e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

313 Comments

  1. Bom dia dona Viviane ouvindo esse audio me senti envergonhada das minhas atitudes estou me conhecendo quem eu sou de fato pelas minhas reaçoes nos desertos queOEspiritoSanto venha me moldar

    Ver mais
  2. Eu percebo que quando eu tento me justificar eu não estou sendo humilde e não estou reparando a mim mesma.

    Ver mais
  3. É no deserto que posso refletir com moderação porque não há interrupções… E só posso medir os meus atos quando estou focada e com o objetivo de os resolver. Me justificar não vai resolver o meu problema pelo contrário, isso vai é trazer sentimento, como se tivesse me desculpando pelo meu fracasso!
    Mas quando eu uso a fé inteligente, eu preparo o caminho do Senhor… Endireitando as minhas veredas, fazendo a minha parte de forma a dar espaço para que Deus faça a d’Ele.

    Me abençoou!

    Ver mais
  4. Muito forte essa direção, Dona Viviane. Já tive a infelicidade de agir assum na ansiedade e de certa passei a estar errada. Hoje aprendi e tenho aprendido ainda mais por misericórdia do meu Senhor Jesus. Um beijo, obrigada.

    Ver mais
  5. É verdade, quando analisamos em cima da emoção, nossa tendência é nos justificarmos, darmos desculpas para tudo, mas quando usamos a Fé inteligente e nos avaliamos nós vemos as verdadeiras falhas e por mais que nos doa somos humildes admitimos, corrigimos e melhoramos.

    Ver mais
  6. Eu me lembro de que enquanto eu não reconheci os meus erros, foi para mim impossível mudar, primeiro era que eu não me vi como pecadora e segundo acha que estava no direito de sentir e de agir do jeito que eu agia só por causa das injustiças que vivi no passado, mas o tempo foi me a percebendo que a maior prejudicada era eu, eu estava a viver do passado, das magoas, e das frustrações e claro Deus não se agrada disso por isso minha vida amarga e cheio de dor, mas isso tudo mudou quando reconheci os meus erros e a minha condição e coloquei tudo no altar de Deus.

    Ver mais
1 50 51 52