16º Dia: O que andas pensando?

Viviane Freitas

  • 5
  • Out
  • 2015

16º Dia : O que andas pensando?

  • 5
  • Out
  • 2015

Olá a todos os internautas!

É um prazer estar aqui convosco. Hoje já é o 16º Dia do Jejum. Faltam poucos dias para terminar este propósito. Mas não precisa termina-lo, se ainda não alcançou o que pretende com este Jejum.

Hoje a pergunta é a seguinte: “O que andas pensando?”

Acompanhe comigo o livro de Deuteronómio, capítulo 15, versículo 9:

“Guarda-te não haja pensamento vil no teu coração, nem digas: Está próximo o sétimo ano, o ano da remissão, de sorte que os teus olhos sejam malignos para com teu irmão pobre, e não lhe dês nada, e ele clame contra ti ao SENHOR, e haja em ti pecado.
Livremente, lhe darás, e não seja maligno o teu coração, quando lho deres; pois, por isso, te abençoará o SENHOR, teu Deus, em toda a tua obra e em tudo o que empreenderes.
Pois nunca deixará de haver pobres na terra; por isso, eu te ordeno: livremente, abrirás a mão para o teu irmão, para o necessitado, para o pobre na tua terra.”
(Deuteronômio 15:9-11)

Veja que, no inicio do versículo, diz para guardar-se do pensamento vil, quer dizer, um pensamento ordinário, mesquinho, de falta de consideração no seu coração!

Lembra-se que no 1º Dia do Jejum, falámos sobre o coração?! De como ele é, e o que tem mente… Veja só, pensamento no coração! É a sua alma, é o ser que nutre dentro de si, então tem que guardar-se, para que não haja esse pensamento mesquinho, ordinário, de falta de consideração.

“…nem digas: Está próximo o sétimo ano, o ano da remissão…” (Deuteronômio 15:9)

No sétimo ano, eles tinham que dar algo ao “irmão”, ao necessitado. Veja o seguinte: Isto é no Antigo Testamento, na época da lei.

“…Está próximo o sétimo ano, o ano da remissão, de sorte que os teus olhos sejam malignos para com teu irmão pobre, e não lhe dês nada, e ele clame contra ti ao SENHOR, e haja em ti pecado.” (Deuteronômio 15:9)

Quem é este pobre? Não é somente aquela pessoa que não tem condições financeiras… Quando se fala em “pobre”, é o necessitado, e quem não é necessitado nesta vida? Todos nós! E questiona-me: “Como Viviane?” Todos nós precisamos uns dos outros, precisamos de pessoas que estejam a servir-nos e também outras que necessitamos servir. Por exemplo, você que é uma empregada doméstica, não pense que como tem menos condições que o seu patrão, que é a pobre e a necessitada, ele tem que ser benéfico para si. Não, não é isso! Tanto o patrão quanto o empregado ou funcionário têm as suas necessidades. O patrão precisa ser atendido, servido pelo seu funcionário, e este tem a sua necessidade económica, do seu tempo, do seu dia livre ou dia de descanso… Cada um tem a sua necessidade!

Quando refere que na época, no ano da remissão, a pessoa tinha que dar algo para o mais necessitado, era uma lei no sétimo ano. E às vezes, vê assim a lei de Deus: “Olhe, você tem que perdoar…”, “tem que ser sincera…”, “tem que olhar com bons olhos”.

E olha com maus olhos e diz: “Está bem… vou olhar com bons olhos”, “está bem… Vou perdoar… perdoa-me tá? Perdoa-me, desculpe se fiz alguma coisa…” Mas aqui diz:

“…de sorte que os teus olhos sejam malignos para com teu irmão pobre…” (Deuteronômio 15:9)

Ou seja, que errou consigo.

“…e não lhe dês nada, e ele clame contra ti ao SENHOR, e haja em ti pecado.” (Deuteronômio 15:9)

Se comete um erro, se não há consideração da sua parte para comigo, ou vice-versa, e eu clame a Deus, vai haver um pecado, uma injustiça! Imagine, você sobrecarregar-me ou eu sobrecarrega-la, de forma que não haja nenhuma compaixão, consideração para com o próximo. Não é porque sou patrão ou porque sou empregado que não tenho que ter consideração, ambas as partes têm que tê-la.

“Livremente, lhe darás, e não seja maligno o teu coração, quando lho deres; pois, por isso, te abençoará o SENHOR, teu Deus, em toda a tua obra e em tudo o que empreenderes.” (Deuteronômio 15:10)

Às vezes a pessoa comete o seguinte erro: “Eu vou cumprir!” Mas “cumpre” de forma negativa, de coração maligno, com pensamento vil, mesquinho… E diz: “Se ela não fez isso comigo, então também não vou fazer!” A querer pagar o mal com o mal. E Deus diz “Tem que fazer de bom grado.” Quando for perdoar, tem que fazê-lo porque existe uma necessidade, e não por uma obrigação! Porque chegou o sétimo ano ou porque Deus fala que tem que pedir perdão… E continua com esse rancor, com essa memória não a apaga, não se esquece, faz a sua vida difícil, não considera; é “mão de vaca” e diz: “Se ela não emprestou, não deu, então eu também não vou dar… Tem que entender!” Isso é pensamento vil!

Minha amiga internauta, seja você quem for, pensamento vil, ordinário, mesquinho, pode vir a qualquer pessoa, batizada com o Espírito Santo ou não.

Por isso o alerta: “Guarda-te não haja pensamento vil” Nós temos que guardar porque Jesus disse que bom é o Pai, nós não somos bons… Bom é Deus!

Entenda de uma vez por todas, que não é a boazinha, que tem toda a razão, que tudo o que pensa, sente, está certa… Não! Pelo contrário! Tem sempre que estar “desconfiada” de si própria. Porquê? Porque já pensou, sentiu, já falou o que não deveria! Só o facto de pensar e alimentar aquele pensamento, que não errou porque não está a fazer nada! Está a errar sim! Porque está a alimentar e a agir de forma errada!

Por isso é que Deus diz:

“Livremente, lhe darás, e não seja maligno o teu coração, quando lho deres; pois, por isso, te abençoará o SENHOR, teu Deus…” (Deuteronômio 15:10)

Vai abençoa-la, porque guardou o seu coração de ter esse pensamento vil.

“…em toda a tua obra e em tudo o que empreenderes.” (Deuteronômio 15:10)

Deus vai abençoar toda a sua obra. Talvez esteja a passar por um problema económico, por situações difíceis, e às vezes, não é bem sucedida porque tem esse pensamento vil… pode nem ser em relação ao seu patrão ou ao seu trabalho, mas um pensamento vil até nas suas ofertas para com Deus e nos desafios para com Ele. E pensa: “Vê eu dou a minha oferta, o meu tudo e depois não sou abençoada!” O que tem que dar não é por uma imposição, quando existe sacrifício, tem que existir livremente, porque vê que precisa fazer aquilo! É você que reconhece que tem que dar, que o seu pensamento está a ser vil, que tem que se guardar e dizer: “Está amarrado esse pensamento! Porque eu dei a oferta, sacrifiquei e estou com esse pensamento? Está amarrado! Não vou contaminar-me! Fiz isso de livre e espontânea vontade e não vou contaminar o meu sacrifício!” E é verdade. Quando a pessoa faz de livre e espontânea vontade, não vem esse pensamento: “Ah… eu dei, estão a roubar-me, são maus, aproveitam-se da boa intenção do nosso coração, etc. etc. etc…” É justamente na parte de dar que vem o pensamento vil, mesquinho, de falta de consideração, de entrega, de reconhecimento… Olhe aí uma falha forte! O facto de dar por necessitar… Quando dá a sua oferta, o seu sacrifício, o que está a fazer? Está a dar para outras pessoas serem salvas! Essa é a realidade! Mas muitas ficam com o pensamento vil, e pensam que vai para o nosso bolso, o nosso bem estar…

Internauta, veja o que pensa, olhe esse coração! Porque esse pensamento vil, vem do seu coração.

“Pois nunca deixará de haver pobres na terra…” (Deuteronômio 15:11)

Nunca vai deixar de ter necessidades…

“…por isso, eu te ordeno: livremente, abrirás a mão para o teu irmão, para o necessitado, para o pobre na tua terra.” (Deuteronômio 15:11)

Todos nós temos que dar de livre e espontânea vontade, sem imposição, nem por obrigação, nem a sentir-se mal porque o Pastor está a pedir, nem porque a pessoa está a necessitar e tenho que fazer porque me pediram para fazê-lo. Não! Tenho que fazer porque eu preciso, e tenho que abrir mão para deixar de ser egoísta.

Espero que este post a tenha ajudado. Se ajudou, conte o motivo!
Estou a aguardar o seu comentário e vou ficar muito feliz com a sua sinceridade.

Um grande abraço para si. Amanhã estaremos de volta!

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

145 Comments

  1. Gracias ! Sra. Viviane : por su mensaje , por su reflexion sobre la Palabra de Dios. Es muy fuerte, pero es la verdad. A mi me hace bien reconocer ,que soy necesitada de Dios , que necesito ser fiel por medio de mis Diezmos y Ofrendas al SEÑOR , para que su PALABRA , sea alcanzada al que sufre. Me reconforta.

    Ver mais
1 22 23 24